Cirque de Soleil aceita oferta de compra dos seus credores

A companhia canadiana Cirque du Soleil anunciou esta quinta-feira que aceitou uma oferta de compra dos seus credores, que servirá de base para que a empresa seja leilado em Agosto.

O acordo prevê que os credores adquiram “quase todos os activos”, disse num comunicado de imprensa a companhia de entretenimento canadiana.

O convénio substitui a oferta de compra que a companhia sediada em Montreal concluiu no fim de Junho com os seus actuais acionistas – os fundos americanos TPG e Chinese Fosun –  assim como com a Caisse de Depot et Place de Quebec.

Fundada em Quebec em 1984, a companhia de novo circo teve que cancelar 44 produções nos quatro pontos cardeais em Março e demitir 4.679 acrobatas e técnicos, 95 por cento dos seus funcionários.

A maioria deles foi despedida no fim de Junho, quando o grupo pediu protecção judicial.

O Tribunal Superior do Quebec, que supervisiona a reestruturação da empresa, que é um símbolo cultural da província francófona, vai conduzir esta sexta-feira uma audiência para aprovar a nova oferta.

De acordo com jornal Globe and Mail, o acordo estabelece que os credores injectem entre 300 e 375 milhões de dólares e reduzam a dívida garantida do circo de 1,1 mil milhões de dólares para US$ 300 milhões. Finalmente, garante a manutenção da sede do grupo em Montreal durante os próximos cinco anos. A oferta anterior de compra, formulada pelos accionistas foi cancelada.

“Estamos muito contentes de ter chegado a este acordo com o Cirque du Soleil”, disse Gabriel de Alba, director executivo do fundo canadiano Catalyst Capital Group, o maior credor da companhia artística. “A cooperação do grupo de credores foi extraordinária para alcançar  o nosso objetivo de recapitalizar e revitalizar o circo”, disse.

Outros investidores planeiam oferecer mais para adquirir o circo antes de 18 de Agosto, data-limite estipulada para a apresentação de eventuais oferta. Entre eles destacam-se o fundador, o antigo artista circense Guy Laliberté, que o vendeu em 2015, assim como o império mediático Quebec Quebecor.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.