É oficial. Macau na lista das “zonas de risco” do governo de Banguecoque

O governo tailandês definiu um conjunto de quatro países e dois territórios como “zonas de risco”. A decisão prevê a imposição de restrições aos visitantes oriundos das seis zonas, o que significa que quem viaje de Macau para os aeroportos da Tailândia vai ter que se submeter a um período de quarentena de catorze dias já a partir desta sexta-feira.

O decreto, datado de segunda-feira e publicado esta quinta-feira na Gazeta Real, classificou a Coreia do Sul, a República Popular da China, Macau, Hong Kong, Itália e o Irão como “zonas perigosas” no que toca à transmissão de doenças infecciosas.

A medida foi oficializada no mesmo dia em que o serviço de correios da Tailândia começou a desinfectar todos as encomendas postais recebidos do exterior, ainda que a Organização Mundial da Saúde tenha garantido que é seguro receber correspondência de países afectados como a República Popular da China.

O decreto não explicita a sujeição a quarentena como uma das medidas de contingência, mas o porta-voz do Ministério da Saúde tailandês, Rungrueng Kitphati, disse à agência Reuters na quinta-feira que as medidas de quarentena obrigatória vão ser aplicadas já a partir desta sexta-feira: “Os tailandeses e cidadãos estrangeiros que viajem destes lugares terão que se submeter a um período de quarentena de 14 dias em casa ou num quarto de hotel, tendo que se apresentar perante as autoridades todos os dias”, explicou Rungrueng Kitphati, em declarações à agência Reuters.

O decreto explicita que todas os viajantes provenientes dos países e regiões em causa, incluindo os que apenas lá fizeram escala, deverão fornecer às autoridades o seu endereço, informações relativas a planos de viagem e permanecer em quarentena durante catorze dias.

Os que violarem a quarentena terão que pagar uma multa de 20.000 baht, explicou Rungrueng.

Os passageiros que, à chegada à Tailândia, apresentem sintomas do novo coronavírus serão enviadas directamente para os hospitais do governo.

Até esta quinta-feira, o governo mostrou-se relutante em restringir a entrada no país por medo de afectar ainda mais a indústria do turismo, que representa quase 20 por cento do Produto Interno Bruto tailandês. Ministros e altos funcionários governamentais deram indicações distintas sobre o assunto, contradizendo-se por vezes.

Relativamente aos milhares de tailandeses que regressam gradualmente da Coreia do Sul, o governo preparou instalações para aquartelar durante catorze dias que chega da província de Gyeongsang e da cidade de Daegu, os epicentros do surto do novo coronavírus no país.

A Tailândia registou um total de 47 casos de coronavírus desde Janeiro, dos quais um dos pacientes morreu. Trinta e um dos pacientes infectados recuperaram e voltaram para casa, ao passo que outros quinze ainda estão a ser tratados em hospitais.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.