Fórum Macau defende reforço da cooperação turística com países lusófonos

Fotografia: Ou Mun Tin Toi/TDM

A secretária-geral do secretariado permanente do Fórum de Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países Lusófonos, Xu Yingzhen, destacou esta segunda-feira a necessidade de aprofundar a cooperação nas áreas do turismo, convenções e exposições entre os países de língua portuguesa com a China e Macau.

Desde 23 de Abril, delegações dos oito países lusófonos estiveram reunidas em Macau para participar no “Colóquio sobre Turismo, Convenções e Exposições para os Países de Língua Portuguesa”, organizado pelo Fórum Macau.

Xu Yingzhen, no discurso de encerramento do colóquio, enfatizou que as delegações puderam “conhecer mais profundamente o desenvolvimento nas áreas do turismo, convenções e exposições no interior da República Popular da China e de Macau depois deste colóquio”.

O objectivo principal “é o reforço do intercâmbio de cooperação na área do turismo, convenções e exposições”, disse a secretária-geral. A responsável destacou que Macau, que em 2018 acolheu 35,8 milhões de visitantes –  e que com vários ‘resorts’ de luxo – com “as suas caraterísticas multiculturais e diversidade linguística possui vantagens singulares [para a construção] de um centro mundial de turismo e de lazer”.

Três dos pontos destacados pelos representantes lusófonos foi o reforço do intercâmbio entre as universidades, a concretização de planos ao nível da formação e as oportunidades para os países de língua portuguesa com a criação do “megamercado” da Grande Baía, uma metrópole mundial que junta nove cidades chinesas, Macau e Hong Kong e que tem cerca de 70 milhões de habitantes.

Outro dos destaques das duas semanas da estadia dos representantes lusófonos foi a sessão de apresentação dos produtos turísticos dos países de língua portuguesa, que decorreu na 7.ª Expo Internacional de Turismo de Macau.

Este ano, o evento contou com 835 expositores, com todos os países lusófonos presentes, e com o dobro da área de exposição de 2018, atingindo os 22.000 metros quadrados.

Em 26 de Abril, cada um dos oito países lusófonos teve a oportunidade de realizar uma apresentação sobre as mais-valias turísticas que os países têm para oferecer: “É de saudar o esforço de diversos profissionais altamente qualificadas para criarem mais-valias na transmissão dos conhecimentos apreendidos, nas temáticas discutidas nos diversos colóquios proporcionados pelo Fórum [Macau]”, afirmou a directora-geral do Artesanato do Ministério de Comércio, Turismo e Artesanato da Guiné-Bissau.

Catarina Taborda, que foi a representante rotativa do colóquio, enfatizou que a cooperação entre a China e os países de língua portuguesa “está cada vez mais aprofundada”: “Somos aproximadamente 230 milhões de falantes de língua portuguesa espalhados em nove países de quatro continentes, certos de que juntos iremos continuar a fortalecer as nossas ligações”, frisou a responsável guineense.

Em relação ao colóquio, Catarina Taborda frisou ainda esperar, num futuro próximo ver mais participantes oriundos dos nossos países e pelo menos um membro de cada delegação anterior de forma a dar continuidade aos projectos em desenvolvimento”: “O Fórum de Macau está sempre disponível para vos receber”, sublinhou Xu Yingzhen, fazendo votos para que “os participantes possam continuar a apoiar o trabalho do Fórum de Macau e aproveitar a plataforma de Macau”.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.