Guiné Bissau. China financia construção de porto de pesca

A segunda fase do porto de pesca do Alto do Bandim foi ontem lançada, numa cerimónia que contou com a presença do embaixador da República Popular da China na Guiné Bissau, Jin Hongjun. O projecto está avaliado em 22 milhões de euros.

O Governo da Guiné-Bissau e o embaixador da República Popular da China no país, Jin Hongjun, lançaram esta quarta-feira a primeira pedra para a construção da segunda fase do porto de pesca do Alto do Bandim, um projecto orçado em 22 milhões de euros.

“O sector das pescas constitui um dos pilares fundamentais para a economia da Guiné-Bissau, fornecendo uma fonte importante para o Orçamento do Estado e o sector de pescas fornece milhares de empregos, mas também uma boa fonte alimentar para a população”, afirmou o embaixador da República Popular da China em Bissau.

Segundo o diplomata, através deste projecto a China está a “ensinar a pescar” em “vez de dar o peixe”: “Os pescadores guineenses vão ficar com um óptimo equipamento para desenvolver o sector das pescas no país”, salientou.

O primeiro-ministro guineense, Aristides Gomes, disse que a China é um “parceiro bilateral incontornável” do país para o “desenvolvimento e construção do progresso”.

O projecto, no valor de 22 milhões de euros e com duração de 25 meses, prevê a construção de 308 metros de docas flutuantes a norte e sul, com um comprimento de 50 metros, um novo quebra-mar, uma estrada, um edifício administrativo e de comércio de bens de pesca, drenagens e esgotos.

O porto de pesca do Alto do Bandim é actualmente o principal porto de pesca artesanal na Guiné-Bissau e, segundo estatísticas nacionais, e é utilizado por 50 por cento das embarcações de pesca que operam no país.

Os guineenses consomem por ano cerca de 21 quilogramas de peixe.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.