Paquistão. Executado violador e assassino de criança de seis anos

Imran Ali, de 24 anos, foi esta manhã executado num presídio da cidade de Lahore, depois de ter sido considerado culpado da morte de Zainab Ansari, uma menina de seis anos que foi violada e posteriormente assassinada na cidade de Kasur. Depois de ter sido detido, Ali confessou que teria assassinado pelo menos outras sete menores.

Imran Ali, condenado por violação e assassínio de uma menina de seis anos, num caso que provocou protestos violentos e um debate sobre a segurança dos menores em Janeiro, foi esta quarta-feira executado no Paquistão.

Ali, de 24 anos, foi enforcado às 05:30 da manhã, hora local, na prisão de Lakhpat, na cidade de Lahore capital da província de Punjab, no leste do país, disse o porta-voz da prisão, Faraz Hussain, à agência de notícias espanhola EFE.

O porta-voz declarou que o pai da criança assassinada, Amin Ansari, e três dos seus tios foram testemunhas da execução, juntamente com um magistrado.

Após o enforcamento, Ansari lamentou que Imran Ali não tenha sido executado em público ou que a sua execução não tenha sido emitida pela televisão, em declarações aos meios de comunicação locais em frente à prisão: “Zainab teria completado sete anos e dois meses hoje”, disse o pai da criança assassinada.

imran Ali terá violado e assassinado pelo menos oito menores.

O pai do condenado e outros membros da sua família deslocaram-se até a prisão, mas não estavam presentes no momento da execução porque a lei não o permite. Imran Ali foi preso duas semanas depois de o corpo da criança ter sido encontrado numa lixeira cinco dias após o seu desaparecimento, na cidade de Kasur.

Ali foi sentenciado em Fevereiro a pena de morte por sequestro, violação, assassínio e terrorismo, e a prisão perpétua por “acto não natural” com uma criança de seis anos, Zainab Ansari.

Em Agosto, foi condenado a uma nova pena de morte pelo assassínio e violação de outras três raparigas, depois de confessar que matou oito menores. A execução refere-se apenas ao caso da Zainab, que chocou todo o país no início de Janeiro.

Zainab Ansari desapareceu quando estava sob os cuidados de um tio, enquanto os seus pais faziam uma peregrinação religiosa à Arábia Saudita.

O aparecimento do corpo, cujo exame determinou que sofreu abuso sexual, desencadeou uma onda de protestos violentos em que duas pessoas morreram, além de manifestações e actos de protesto em diferentes partes do país.

O Paquistão registou pelo menos 17.862 casos de abusos sexuais de menores entre 2013 e 2017, sendo 10.620 deles contra raparigas e os restantes 7.242 contra rapazes, de acordo com um relatório do Ministério dos Direitos Humanos elaborado em conjunto com a organização não-governamental Sahil.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.