Banco Nacional Ultramarino espera lucros de 600 milhões de patacas

O número foi avançado por Carlos Cid Álvares numa entrevista concedida à emissora em língua portuguesa da Rádio Macau. O novo presidente executivo da instituição bancária de matriz portuguesa está convicto que o BNU vai conseguir “dobrar os lucros do primeiro semestre”.

O Banco Nacional Ultramarino (BNU), que integra as fileiras do grupo Caixa Geral de Depósitos, espera atingir lucros superiores a 600 milhões de patacas no final do ano, revelou o novo presidente executivo da instituição bancária, numa entrevista emitida este sábado pela Rádio Macau.

“Acho que é possível dobrar os lucros do primeiro semestre. Vamos apresentar lucros fortes. (…) O caminho que queremos trilhar é atingir lucros superiores aos 600 milhões de patacas [64 milhões de euros]”, disse Carlos Cid Álvares, sublinhando que o Banco Nacional Ultramarino deverá registar aumentos em todos os parâmetros da sua actividade económica.

O banco fechou o primeiro semestre do ano com lucros de 310,8 milhões de patacas (33,2 milhões de euros), menos 3,15 por cento em relação ao mesmo período de 2017.

Os lucros daquela instituição tinham registado uma subida de 26 por cento em 2017 para 706 milhões de patacas, qualquer coisa como 70 milhões de euros.

O BNU anunciou em Junho Carlos Álvares como novo presidente executivo, sucedendo a Pedro Cardoso, que liderou o banco de matriz portuguesa nos últimos sete anos.

A nomeação de Carlos Álvares foi justificada com a sua “longa experiência no sector bancário”, ele que foi director-geral do Banco Comercial Português e ainda presidente do Banco Popular Portugal.

O BNU é, juntamente com o Banco da China, banco emissor de moeda em Macau e conta actualmente com 20 agências, incluindo uma na Ilha da Montanha, ilha chinesa vizinha da região Administrativa Especial de Macau.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.