Futebol. Paulo Sousa quer vencer e oferecer triunfo a adeptos chineses

O Mangkhut quase impediu que Macau se estreasse como palco da Liga dos Campeões Asiáticos, mas o desafio entre Tianjin Quanjian e Kashima Antlers vai mesmo disputar-se esta noite no Estádio da Taipa. A formação chinesa tem pela frente uma tarefa exigente, mas Paulo Sousa está convicto que a equipa consegue dar a volta à desvantagem de dois golos que apresenta na eliminatória.

Tianjin Quanjian e Kashima Antlers vão lutar esta noite, no Estádio da Taipa, por um lugar nas meias-finais da Liga dos Campeões Asiáticos. Na segunda mão dos quartos-de-final da competição, a formação chinesa, orientada pelo antigo internacional português Paulo Sousa, tem obrigatoriamente de reverter a desvantagem de dois golos que traz da primeira mão. No final de Agosto, a formação japonesa derrotou o Quanjian com golos de Léo Silva (antigo jogador da Portuguesa dos Desportos) e Serginho (ex-América de Minas Gerais).

O encontro esteve na eminência de ser adiado, depois do tufão Mangkhut ter açoitado Macau e Hong Kong no fim-de-semana. A Confederação Asiática de Futebol terá proposto, numa primeira instância, que o jogo fosse remarcado e disputado em Tianjin ou adiado para a noite de quarta-feira. Dada a melhoria progressiva das condições atmosféricas, a AFC acabou por manter os planos originais e o desafio vai mesmo disputar-se esta noite no Estádio Olímpico da Taipa.

Fotografia: Paulo Sousa durante a conferência de imprensa de antecipação da partida, esta segunda-feira no Estádio da Taipa.

Na conferência de imprensa de antecipação da partida, ontem realizada, Paulo Sousa assumiu o desejo de vencer a partida e dedicar a vitória não apenas aos adeptos do Tianjin, mas de um modo geral aos adeptos de futebol chineses.

A formação orientada pelo antigo internacional deverá poder contar com Alexandre Pato, que falhou o derradeiro encontro da equipa depois de ter adoecido com uma gastroenterite. O Tianjin Quanjian precisa de fazer três golos e não sofrer nenhum para avançar para as meias-finais da prova ou de apontar dois e não encaixar nenhum para seguir para igualar a eliminatória.

Nos oitavos-de-final da competição, o onze de Tianjin eliminou o Guangzhou Evergrande graças aos golos apontados no terreno do adversário. Paulo Sousa acredita que a sua equipa tem capacidade para seguir em frente na competição, embora reconheça que a preparação para o encontro não correu da forma mais desejada: “Por causa do mau tempo, no domingo só fizemos duas sessões de treino no hotel. O desafio desta terça-feira é para uma final, embora existam muitos factores externos que escapam ao nosso controlo, mas esses factores não são uma desculpa”, assegura o treinador português. “Não nos falta confiança para este encontro, até porque acredito que os meus jogadores serão capazes de lutar com todas as forças. Seria importante se pudessemos marcar primeiro. Se assim for, o adversário ficará mais ansioso e a possibilidade de um bom resultado será maior”, admitiu Paulo Sousa, citado pela Confederação Asiática de Futebol.

Do outro lado está uma equipa moralizada pelo triunfo alcançado em casa na partida da primeira mão. No estádio da Taipa, o Kashima Antlers poderá apostar numa estratégia de contenção, complementada por contra-ataques rápidos. O treinador da formação nipónica deixou esta segunda-feira claro que, mais do que ganhar, para o Kashima Antlers interessa marcar presença nas meias finais da Liga dos Campeões Asiáticos: “É muito importante para nós podermos marcar presença entre os quatro primeiros. Pedi aos meus jogadores que procurem dar o máximo neste encontro. Sinto que a equipa está a melhorar e os meus jogadores são jogadores de grande qualidade pelo que estou certo que o encontro desta terça-feira vai ser um desafio bem disputado”, assumiu Go Oiwa, também ele citado pela AFC.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.