“Uma Faixa, Uma Rota” elevou comunicação entre a China e o mundo

Macau foi ao longo dos dois últimos dias palco de uma conferência internacional sobre a iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”. A iniciativa, sustanta Lao Pun Lao, ajudou a criar “uma plataforma de comunicação entre o interior da China e a sociedade internacional”.

O Gabinete de Estudos das Políticas considerou esta quinta-feira que a conferência internacional sobre o projecto chinês “Uma Faixa, uma Rota” criou “uma plataforma de comunicação entre o interior da China e a sociedade internacional”.

A avaliação foi feita pelo coordenador do Gabinete, Lao Pun Lap, numa conferência que ontem terminou e que reuniu no território com a participação de diversos sectores da sociedade.

A conferência de dois dias centrou-se na “forma de desenvolver, dinamicamente, as vantagens e o papel de Macau, para participar e ajudar a China na construção da “Faixa e Rota”, permitindo que o espírito da Rota da Seda tenha continuidade”.

Para o chefe do Executivo, Chui Sai On, a participação de Macau neste projecto é “uma obrigação e uma responsabilidade” e, por isso, “o território está determinado em aproveitar ao máximo as vantagens singulares”, declarou no arranque da conferência.

De acordo com Chui Sai On, o volume total das trocas comerciais entre a República Popular da China e os países ao longo da iniciativa” Uma Faixa, Uma Rota” excede “os quatro mil milhões de dólares americanos e o investimento acumulado ultrapassa 60 mil milhões de dólares americanos, com 75 zonas de cooperação económica e comercial no exterior, criando mais de 200 mil empregos nos locais”.

Por sua vez, o Presidente do Instituto Politécnico de Macau (IPM), Lei Heong Iok, defendeu, no seu discurso, que as instituições de ensino superior de Macau devem trabalhar para tornar Macau numa plataforma de intercâmbio entre a China e os países de língua portuguesa.

Neste sentido, o IPM construiu o Laboratório de Tradução Automática Chinês-Português-Inglês, em colaboração com Global Tone Communication Technology, Co. e a Universidade de Estudos Estrangeiros de Guangdong, frisou o responsável.

Lei Heong Iok lembrou ainda as colaborações com o Politécnico de Leiria e a Universidade de Coimbra, “para investigar e criar um sistema de tradução automática chinês e português”, para que a China e os países de língua portuguesa eliminem barreiras linguísticas.

Anunciada pelo Presidente chinês, Xi Jinping, a iniciativa “Faixa Económica da Rota da Seda e a Rota da Seda Marítima do século XXI”, mais conhecida como “Uma Faixa, Uma Rota”, está avaliada em 900 mil milhões de dólares, e visa reactivar as antigas vias comerciais entre a China e a Europa através da Ásia Central, África e Sudeste Asiático.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.