Ciência: Acordo na forja entre Macau e Portugal

O memorando de entendimento prevê a criação de um plano de apoio financeiro conjunto entre o Executivo e o governo português. Os contornos do projecto ainda não estão totalmente definidos, mas o novo fundo deve apoiar iniciativas em domínios como o ambiente, as tecnologias da informação ou a medicina.

O Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e da Tecnologia (FDCT) de Macau vai assinar este ano um memorando de cooperação científica com a Fundação para a Ciência e Tecnologia de Portugal.
Numa conferência de imprensa realizada no início da semana, o Conselho de Administração do FDCT explicou que o acordo diz respeito à criação de um plano de apoio financeiro conjunto ainda por definir, mas que deverá começar a ser disponibilizado “este ano”, por um período máximo de três anos”.

Da responsabilidade do grupo Alibaba, o projecto da cidade inteligente deve estar inteiramente funcional até 2021.

O presidente do FDCT, Frederico Ma Chi Ngai, salientou, ainda assim, que o acordo de cooperação só deve avançar depois de “definido um orçamento e de escolhidos os temas de estudo, em áreas como ambiente, tecnologias de informação ou medicina, as universidades ou instituições científicas de Macau e de Portugal podem estabelecer protocolos entre elas”.
Se um projecto for aceite, “Macau vai subsidiar com um milhão de patacas e Portugal com 100 mil euros”, explicou Cheang Kun Wai, um dos membros do conselho de administração do FDCT.
No balanço relativo a 2017, o FDCT aprovou 400 de 744 candidaturas, num montante de cerca de 200 milhões de patacas: “Temos reduzido o número de projetos aprovados e o montante financiado devido a um processo de aprovação mais rigoroso”, sublinhou Ma Chi Ngai.
O FDCT lançou ainda, em 2017, projectos de financiamento para pesquisa e desenvolvimento no meio empresarial, e de apoio financeiro para o projecto da cidade inteligente. Nesta última área foram aprovadas 14 candidaturas, no montante de mais de quatro milhões de patacas: “O centro piloto de computação em nuvem vai ser instalado no complexo do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) e começar a fase de testes em Abril próximo”, disse Chan Wan Hei, administrador do FDCT.
Em Agosto, o Governo de Macau e o grupo Alibaba assinaram um acordo-quadro que prevê o estabelecimento de um centro de computação em nuvem e de uma plataforma de megadados para a criação de uma cidade inteligente, em duas fases, ao longo de quatro anos.
O centro de computação em nuvem e a plataforma de megadados deverão estar operacionais o mais tardar em Julho de 2019. O acordo prevê ainda o início gradual de projectos de utilização das duas valências em seis domínios: promoção do turismo, formação de talentos, gestão do trânsito, serviços de assistência médica, gestão integrada urbana e prestação de serviços urbanos integrados e tecnologia financeira.
A segunda etapa – que se deve materializae entre Julho de 2019 e Junho de 2021 – compreende o aperfeiçoamento do centro de computação em nuvem (conjunto de servidores remotos alojados na Internet para armazenar, gerir e processar dados em vez dos servidores locais ou de computadores pessoais) e da plataforma de megadados, abrangendo outras áreas como a proteção ambiental, a passagem fronteiriça e os prognósticos económicos.
Por outro lado, em relação à promoção do estabelecimento dos laboratórios de referência do Estado em Macau, o FDCT aprovou o financiamento da operação, respectivamente, em medicina chinesa e em microelectrónica, no montante de 90 milhões de patacas.
O FDCT e o departamento de Ciências e Tecnologia da província de Guangdong (sul) “estão a explorar” a viabilidade de financiamento conjunto da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, e também “a participação activa” no mecanismo de cooperação “Uma Faixa, Uma Rota”, criado pela Fundação para a Ciência Natural da China, para incentivar a cooperação científica e tecnológica multilateral.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.