Myanmar. Grupo de residentes quer organizarmanifestação na quarta-feira

Fotografia: Arquivo/Expediente Sínico.

Um grupo de residentes de Macau fez chegar na sexta-feira um aviso prévio ao Corpo de Polícia de Segurança Pública de Macau, com o propósito de organizar uma manifestação de solidaridade para com o Myanmar,
país que foi a 1 de Fevereiro palco de um golpe de estado conduzido pelo Tatmadow, o Exército do país.

De acordo com a emissora em língua portuguesa da Rádio Macau, trata-se do segundo aviso da mesma natureza enderaçado às forças de segurança do território, depois deum primeiro pedido, formulado por um
trabalhador não-residente não ter sido bem sucedido. Desta feita, o pedido para a manifestação, que deve decorrer na próxima quarta-feira, foi entregue por um grupo de residentes do território. Entre os promotores da iniciativa está
o activista Wu Shao Hong, que em declarações à imprensa, admitiu que a Polícia de Segurança Pública pode não autorizar o evento. O objectivo dos organizadores é o de organizar uma vigília na Rotunda Carlos da Maia,
na próxima quarta-feira, 10 de Março. Se a iniciativa não for autorizada, Wu Shao Hong, vice-pesidente da Associação Poder do Povo, diz que, em alternativa, pode vir a ser organizada uma iniciativa através da Internet.
Esta é a segunda tentativa para a organização de uma manifestação de solidariedade para com o povo do Myanmar.A primeira acabou por não ser bem sucedida, depois do responsável ter aberto mão da iniciativa quatro dias depois de ter
feito chegar à PSP o aviso prévio. Um trabalhador não-residente oriundo do Myanmar fez mais tarde uma tentativa idêntica para organizar uma manifestação nos Três Candeeiros, tendo sido informado pela Polícia de que os TNR não têm
direito a manifestar-se, pelo facto do direitos da reunião e manifestação ser exclusivo dos residentes de Macau.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.