Ameaças e apologia ao terrorismo proliferam em França

Após a decapitação de um professor por ter mostrado cartoons de Maomé aos seus alunos, actos de apologia do terrorismo e ameaças proliferam na França, como o que sucedeu com um aluno de 12 anos que mostrou imagens macabras do professor e pessoas que defendem que o assassinato foi justificado.

O assassinato de Samuel Paty chocou a França, mas também gerou reacções sinistras: de acordo com a France Info, cerca de 200 processos de investigação foram abertas na última semana de Outubro por apologia ao terrorismo, ameaças de morte, insultos ou incitamento ao ódio, relacionados com a decapitação deste professor nos arredores de Paris a 16 de Outubro.

“É uma explosão [de casos]! São muitas as ameaças a personalidades, como o Presidente da República, o primeiro-ministro, vários ministros, deputados, professores”, indica uma fonte judicial.

“Há alusões mais ou menos directas às ameaças de decapitação”, acrescenta.

No Ministério Público de Paris, que centraliza parte dos casos, foram lançadas cerca de 70 investigações por “apologia ao terrorismo” e “ameaças de morte ou violência” desde o assassinato do professor de História e Geografia de 47 anos.

“Qualquer reclamação ou denúncia leva imediatamente à abertura de uma investigação”, disse à Agência France Press o responsável pelo Ministério Público de Paris, Rémy Heitz.

“Por trás destes casos estão diversos perfis, de pessoas radicalizadas, mas também com problemas mentais, ou que mandam mensagens sem medir a gravidade. Também temos jovens”, afirma o investigador.

E no princípio era o Charlie

Já em 2015, foram relatados incidentes durante o minuto de silêncio às vítimas do atentado à revista satírica Charlie Hebdo.

Na segunda-feira, na homenagem que foi feita nas escolas ao professor assassinado, ocorreram “cerca de 400 violações do minuto de silêncio […]”, de acordo com o ministro da Educação Nacional, Jean-Michel Blanquer.

“Cada violação é punida com medidas disciplinares. Às vezes, até com consequências criminais”, afirmou o ministro. Alguns alunos assobiaram durante a homenagem, outros riram, de acordo com o Ministério Público de Evry, embora esse tipo de comportamento não constitua crime.

Em Paris, uma estudante de 15 anos foi indiciada por “apologia ao terrorismo” após criticar o professor assassinado. Numa escola secundária em Caluire-et-Cuire, no leste de França, um estudante de 15 anos ameaçou um professor, dizendo que lhe “cortava a cabeça”.

Em Gisors, no oeste do país, uma menina de 12 anos mostrou aos seus colegas uma foto da cabeça decapitada do professor Paty.

Um total de 14 acusações ocorreram na segunda e terça-feira contra menores por “apologia ao terrorismo” em escolas, de acordo com fontes judiciais.

Em Albertville, no leste de França, a detenção domiciliária de quatro alunos do ensino primário, suspeitos de apologia ao terrorismo, foi denunciada pela comunidade turca. Os alunos, três meninos e uma menina de 10 anos, são acusados de terem proferido palavras “violentas” durante o tributo a Paty na segunda-feira: “Disseram que o terrorista se saiu bem”, de acordo com o promotor de Chambéry, Pierre-Yves Michau, entrevistado no sábado pela AFP. Nas redes sociais, a comunidade turca na França criticou duramente o caso, o que levou à “retenção judicial” das crianças por um dia inteiro.

Numa nota enviada aos procuradores-gerais no dia seguinte ao atentado, o Ministro da Justiça francês pediu a máxima firmeza perante comportamentos que incitam ao ódio ou incentivam a prática de crimes ou delitos. Casos semelhantes ocorreram na vizinha Alemanha.

Em Berlim, onde Samuel Paty foi homenageado na segunda-feira, a imprensa noticiou incidentes em algumas escolas.

De acordo com o Tagesspiegel, um aluno da escola Gustav-Freytag, que se fez passar por muçulmano, afirmou que o professor de francês “recebeu o que merecia”.

O porta-voz de um sindicato de professores do GEW disse ao Tagesspiegel que a sua organização recebeu alguns telefonemas de professores preocupados que algo semelhante ao que aconteceu com Samuel Paty pudesse acontecer com eles.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.