Madrid acata ordem de confinar a capital

As autoridades regionais de Madrid vão cumprir de maneira “estrita” a resolução do Executivo espanhol que obriga a limitar a entrada e saída da capital de Espanha e de outros nove grandes municípios. A medida tem por grande desígnio conter a pandemia de coronavírus. As autoridades de Madrid vão, ainda assim, recorrer da decisão nos tribunais.

Nem Madrid nem o seu governo autónomo estão em revelia, ressaltou esta quinta-feira a presidente regional, a conservadora Isabel Díaz Ayuso, que vai acatar “todas as ordens” do Governo central, dirigido pelo socialista Pedro Sánchez, apesar das fortes discrepâncias que mantêm sobre as medidas que se devem aplicar para travar os contágios.

O Boletim Oficial do Estado (BOE, equivalente ao Diário da República português) publicou esta quinta-feira o acordo apoiado quarta-feira pelo Governo central e 12 das 17 regiões espanholas para aplicar restrições sociais e de movimento nos municípios com mais de cem mil habitantes com pelo menos 500 casos novos de coronavírus, entre outros critérios sanitários: “Este acordo será de cumprimento obrigatório para todas as comunidades (regiões)”, precisa o BOE.

As novas medidas de controlo de movimento e actividade deverão entrar em vigor no prazo máximo de 48 horas, ou seja, na noite da próxima sexta-feira, informaram à agência Efe fontes governamentais.

A Comunidade de Madrid, que alega graves prejuízos socioeconómicos, considera que a situação epidémica está a melhorar e acredita que este acordo carece de validade jurídica porque não foi tomado por consenso de todas as regiões, pelo que vai recorrer nos tribunais para defender “os legítimos interesses dos madrilenos”, argumentou Diaz Ayuso.

A região de Madrid, com 6,6 milhões de habitantes, é actualmente a mais afetada pelo coronavírus em Espanha.

O ministério da Saúde espanhol relatou na quarta 11.016 novos casos de coronavírus – 43,6 por cento deles em Madrid – bem como 117 mortes, elevando o total desde o início da pandemia em Espanha para 769.188 e as mortes para 31.791.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.