China quer legislação mais rígida para os cigarros electrónicos

A República Popular da China, o país com maior número de fumadores do mundo, está a considerar regras mais rígidas para os cigarros eletrónicos. As autoridades chinesas alegam que os cigarros electrónicos poderão atrair os adolescentes para o tabagismo.

“A supervisão sobre os cigarros eletrónicos deve ser fortemente reforçada”, defendeu esta terça-feira Mao Qunan, chefe do departamento de planeamento da Comissão Nacional de Saúde (CNS), em conferência de imprensa.

Os cigarros electrónicos são considerados menos prejudiciais do que o tabaco e estão a conquistar cada vez mais consumidores em todo o mundo, incluindo na China.

As autoridades estão preocupadas, no entanto, que sirvam de porta de entrada dos adolescentes para o tabagismo: “Queremos reduzir a taxa de fumadores e evitar que os jovens provem tabaco”, disse Mao, referindo-se aos estudos que estabelecem uma ligação formal entre os cigarros electrónicos e o tabagismo entre os jovens.

Nos últimos anos, a República Popular da China generalizou a proibição do tabaco em locais públicos fechados, mas está a lutar para aplicar a lei, num país com uma forte indústria do tabaco.

De acordo com o responsável, o tabaco representa o equivalente a 130 mil milhões de euros em impostos e lucros, ou mais de 5 por cento da receita do Governo central.

País mais populoso do mundo, com cerca de 1.400 milhões de habitantes, a China tem mais de 300 milhões de fumadores. Mais de um terço de todos os cigarros fabricados no mundo são fumados no país.

O tabaco mata um milhão de pessoas todos os anos, segundo a Organização Mundial da Saúde, e 100.000 mortes são atribuídas ao fumo passivo.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.