Prisão preventiva para suspeitos de branqueamento de capitais

Fotografia: Macau Photo Agency

A Procuradoria do Ministério Público de Macau anunciou esta quarta-feira que foi decretada a medida de coacção de prisão preventiva a três membros de um grupo suspeito de branqueamento de capitais. Os arguidos são suspeitos de terem branqueado cerca de 1,1 mil milhões de dólares de Hong Kong.

O Ministério Público aplicou a outras duas pessoas a medida de coação de prestação de caução, apresentação periódica e proibição de se ausentar de Macau, acrescenta o organismo numa nota de imprensa.

Em causa está uma investigação policial em que “as autoridades policiais de Hong Kong e Macau desmantelaram em conjunto um caso suspeito de prática de branqueamento de capitais por um grupo criminoso transfronteiriço, tendo detido no total 22 indivíduos envolvidos, cinco dos quais foram detidos e encaminhados pela polícia de Macau para o Ministério Público”.

Os detidos terão engendrado um esquema com recurso a 181 contas bancárias “abertas pelos seus membros subordinados para receber e movimentar dinheiro ilícito proveniente de burlas telefónicas conduzidas em Hong Kong e o estrangeiro, num total de cerca de 1,1 mil milhões de dólares de Hong Kong [130 milhões de euros]”, pode ler-se no comunicado.

Os cinco arguidos foram indiciados pela prática dos crimes de branqueamento de capitais e de associação criminosa e arriscam penas máximas de prisão de até 12 e 10 anos, respectivamente.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.