Governo volta a excluir “bolha de viagem” com Hong Kong

Fotografia: Farfar/Unsplash

O Governo excluiu esta segunda-feira a possibilidade de vir a poder negociar uma eventual “bolha de viagem” com as autoridades da Região Administrativa Especial de Hong Kong, no dia em que a antiga colónia britânica anunciou que Hong Kong e Singapura estarão ligadas por um corredor exclusivo a partir de 26 de Maio.

Esta segunda-feira, durante a conferência de imprensa semanal do Centro de Coordenação de Contigência do Novo Tipo de Coronavírus, a responsável pela Núcleo de Prevenção, Doenças Infecciosas e Vigilância da Doença da Direcção dos Serviços de Saúde, Leong Iek Hou, lembrou que Hong Kong ainda não é considerado um território com baixo risco de infecção. Apesar do risco se manter, os Serviços de Saúde adiantaram esta tarde, de acordo com a informação avançada pela emissora em língua portuguesa da Rádio Macau, que os viajantes que cheguem a Macau provenientes da antiga colónia britânica deixam de ter de observar um período de autogestão de saúde de sete dias, após terem cumprido quarentena obrigatória.

Recentemente, a secretária da Alimentação e Saúde da vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong, Sophia Chan, anunciou que a partir de meados de Maio os residentes de Macau não terão que cumprir quarentena à entrada na antiga colónia britânica, mas os Serviços de Saúde não se pronunciaram sob a possibilidade de uma medida similar poder vir a ser promovida no território.

Esta segunda-feira, o representante dos Serviços de Turismo no Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, Lau Fong Chi, assegurou que Macau estudou vários cenários relativos à definição de “bolhas de viagem”. O Governo acabou por concluir que não estão reunidas condições para permitir viajens para outros locais que não a República Popular da China.

As autoridades de Hong Kong anunciaram esta segunda-feira que detectaram quatro novos casos, todos importados, de infecção por Covid-19. No total, a antiga colónia britânica contabiliza 11 740 infecções desde o início da pandemia.

Um total de 155 novas infecções foram sinalizadas na RAEHK nos últimos 14 dias, incluíndo 37 casos locais. Destas, a origem de 17 é desconhecida das autoridades da antiga colónia britânica.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.