Covid-19. Vaga devastadora na Índia preocupa OMS

Fotografia: Sonika Agarwal/Unsplash

O director-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), o etíopeTedros Adhanom Ghebreyesus, expressou esta sexta-feira a sua “profunda preocupação” com a situação da pandemia de Covid-19 na Índia, que já ultrapassa 300.000 infecções diárias e acumula um terço dos novos casos em todo o mundo.

“A OMS está com o Governo e o povo indiano e faremos tudo o que for possível para salvar o maior número de vidas”, disse Tedros numa conferência de imprensa para assinalar o aniversário do Acelerador ACT, a plataforma criada pela OMS para partilhar tratamentos, vacinas e testes contra a Covid-19.

Num ano de trabalho, disse Tedros, foram conseguidos alguns dos objectivos deste programa, tais como a criação de várias vacinas anti-covid “seguras e eficazes”, numerosos testes de diagnóstico e tratamentos com oxigénio e dexametasona, mas ainda não se alcançou uma distribuição equitativa destas ferramentas: “Pessoas em todo o mundo continuam a morrer porque não são vacinadas, não são testadas ou não são tratadas”, lamentou Tedros, que salientou que “a situação na Índia é um exemplo devastador do que o coronavírus pode fazer e porque devemos utilizar todas as ferramentas à nossa disposição”.

O principal responsável da OMS pediu para que os “governos e empresas que controlam estes recursos que salvam vidas os partilhem, o que significa destinar recursos financeiros ou doar doses de vacinas para proteger aqueles que estão mais em risco, e não apenas os mais ricos”.

O etíope acrescentou que “todos os países devem ser transparentes nas suas doações de doses e devem partilhar tecnologia, conhecimentos e propriedade intelectual a fim de aumentar a produção em massa”.

Tedros recordou que o Acelerador ACT precisa de um investimento de 19 mil milhões de dólares este ano, “uma ninharia em comparação com os biliões de dólares que os governos estão a gastar para impulsionar as suas economias e com as grandes receitas que a maioria dos fabricantes estão a gerar”.

“Não podemos permitir que o mundo seja tão injusto e que as pessoas continuem a morrer quando temos as ferramentas que as podem salvar”, afirmou.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.