Índia proíbe exportação de remdesivir

A Índia proibiu a exportação do antiviral remdesivir e dos seus componentes activos, numa altura em que a procura disparou devido a novos picos de infecções por Covid-19. O aumento do número de casos deixou várias regiões sem acesso ao fármaco.

As autoridades culpam aglomerações e a relutância em usar máscaras pelo forte aumento de casos.

Mas encontros e celebrações religiosas continuam a realizar-se, e o primeiro-ministro, Narenda Modi, e o ministro do Interior, Amit Shah, discursaram em comícios eleitorais para dezenas de milhares de pessoas, muitas sem máscaras e praticamente sem seguir regras de distanciamento social.

Os novos casos de Covid-19 pautaram-se por 152.879 neste domingo, o sexto recorde de infecções diárias em sete dias, enquanto familiares de pacientes formavam filas quilométricas para comprar remdesivir do lado de fora de um grande hospital no Estado de Gujarat, no oeste do país, de acordo com testemunhas.

A Índia, conhecida como a farmácia do mundo, já tinha travado grandes exportações de vacinas contra o coronavírus, com o seu próprio suprimento a escassear em alguns Estados do país.

Além de proibir a exportação do remdesivir “até que a situação melhore”, o Ministério da Saúde afirmou que deu orientação aos fabricantes para ampliar a oferta.

A Organização Mundial de Saúde emitiu uma recomendação condicional em Novembro contra o uso de remdesivir em pacientes hospitalizados, dizendo que não havia evidências de que o remédio contribuia para maiores hipóteses de sobrevivência.

Mas muitos países, incluindo a Índia, continuam a utilizá-lo.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.