Moçambique. Exército diz ter morto rebeldes em Palma

Fotografia: CNE CNA C6F/Creative Commons

O Exército moçambicano anunciou no domingo que matou um “grande” número de rebeldes nas operações de retomada da cidade de Palma, no nordeste do país. Palma caiu nas mãos de grupos extremistas islâmicos após uma sangrenta investida a 24 de Março.

“Ainda não acabou (…) mas um grande número de terroristas foi abatido”, declarou o comandante das operações em Palma, Chongo Vidigal.

Há onze dias, grupos armados atacaram a cidade portuária, com uma importância estratégica, lançando uma ofensiva a poucos quilómetros de um megaprojecto de gás no valor de milhares de milhões de dólares administrado pelo grupo francês Total.

Na devastada cidade de 75 mil habitantes, o oficial acrescentou que podia sentir “o cheiro dos cadáveres de terroristas”.

Nas imagens veiculadas pela televisão local, corpos podiam ser visto nas ruas, casas em ruínas e veículos completamente calcinados. As imagens mostravam ainda alguns civis a recolherem alimento.

No ataque, reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI), dezenas de civis, agentes das forças de segurança e militares foram mortos, segundo dados oficiais. O número real de vítimas é desconhecido.

Há dias, os militares tentam recuperar Palma, que caiu nas mãos dos rebeldes na noite de 26 de março, após o maior ataque registado na província de Cabo Delgado desde o início da insurgência islâmica, há mais de três anos.

Desde então, milhares de soldados foram destacados, mas não conseguiram derrotar os insurgentes que aterrorizam a pobre província de Cabo Delgado, na fronteira com a Tanzânia.

Eles são conhecidos como Al Shabab (“os jovens” em árabe) e juraram lealdade ao Estado Islâmico.

O último ataque causou cerca de 11.000 deslocados, de acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM). Mais de 670 mil pessoas já foram forçadas a deixar as suas casas devido à violência na região, de acordo com a Organização das Nações Unidas.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.