Nokia vai despedir onze por cento da sua força de trabalho

Fotografia: Pawel Czerwinski/Unsplash

A gigante finlandesa da tecnologia Nokia apresentou na terça-feira um plano de reestruturação que prevê o despedimento de até 10.000 trabalhadores  – 11 por cento da sua actual força de trabalho – antes do final de 2023, a fim de reduzir os custos de produção.

A Nokia explicou em comunicado que a reestruturação vai custar entre 600 e 700 milhões de euros, a distribuir durante os anos de 2021, 2022 e 2023, e irá representar o corte de entre 5.000 e 10.000 postos de trabalho, dependendo “da evolução do mercado nos próximos dois anos”.

O objetivo da Nokia é poupar cerca de 600 milhões de euros anuais até ao final do ano fiscal de 2023 para financiar o aumento da despesa em investigação e desenvolvimento (I&D), especialmente em tecnologias relacionadas com 5G, computação na nuvem e no desenvolvimento das infra-estruturas digitais.

Após a chegada à Nokia do seu novo CEO, Pekka Lundmark, em Agosto do ano passado, a empresa finlandesa anunciou um novo modelo operacional concebido para simplificar a estrutura organizacional e melhorar a rentabilidade: “A Nokia tem agora quatro divisões independentes. Cada uma delas identificou um caminho claro para um crescimento sustentável e rentável e estão a realinhar as suas bases de custos para investir no futuro”, disse Lundmark numa nota de imprensa.

De acordo com o responsável pelo grupo, estas quatro divisões têm como objectivo alcançar a liderança tecnológica nos seus respectivos negócios, o que requer a melhoria da qualidade dos produtos e a melhoria da competitividade através da redução dos custos: “Nas áreas onde escolhemos competir, vamos jogar para ganhar”, disse Lundmark.

O novo director executivo deixou claro que a Nokia nunca toma “levianamente” qualquer decisão que possa ter impacto nos trabalhadores e assegurou que a sua prioridade será oferecer apoio a todos os trabalhadores que perderem os seus empregos: “Garantir que temos a configuração e as capacidades correctas é um passo necessário para proporcionar um desempenho sustentável a longo prazo”, acrescentou Lundmark.

O plano anunciado na terça-feira vem juntar-se ao anterior programa de reestruturação, que ainda não foi concluído, ao qual a Nokia deverá dedicar outros 500 milhões de euros.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.