Rui Nabeiro apoia criação de um museu do café em Macau

Fotografia: Michael Fallon/Unsplash

O empresário alentejano do sector do café, Rui Nabeiro, está disposto a financiar a criação de um Museu do Café em Macau. A revelação foi feita pelo dirigente de uma associação local de fomento da actividades comercial entre a República Popular da China e os países lusófonos.

O presidente da ACIML – Associação Comercial Internacional para os Mercados Lusófonos defendeu a criação de um “museu lusófono do café” que possa reforçar a aposta que tem sido feita na exportação do produto para os lares chineses.

Eduardo Ambrósio diz que a criação do espaço museológico está dependente da assinatura de um acordo com o Governo de Macau. O dirigente diz que o proprietário da Delta Cafés, a maior empresa portuguesa do sector, fez chegar o seu apoio ao projecto.

O Museu teria por finalidade ajudar os residentes de Macau e quem visita o território a aprender como se processa a produção e cultura do café nos países lusófonos. O espaço, defende Ambrósio, poderia servir como um importante testemunho da “aposta que se quer fazer no mercado na China continental”.

O projecto de criação do espaço museológico foi apresentado ao Governo no final do mês passado, num encontro que a direcção da Associação Comercial Internacional para os Mercados Lusófonos  manteve com o Secretário para a Economia e Finanças, Lei Wai Nong.

Na entrevista que concedeu à Agência Lusa, Eduardo Ambrósio lembrou que “o consumo do café está a crescer 20 por cento em termos anuais”, com “os jovens a beberem cada vez mais café e menos chá”.

O facto de o café estar na moda pode constituir uma oportunidade para países como o Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, exemplificou o dirigente.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.