Espanha mantém restrições durante a Semana Santa

Fotografia: Angel Santos/Unsplash

As autoridades espanholas propuseram esta terça-feira que as limitações de circulação entre regiões sejam mantidas até depois da Páscoa. O Governo de Madrid teme que uma reabertura excessivamente rápida possa levar a uma quarta vaga de contágios de coronavírus.

De acordo com o Ministério, o país registou 2.662 novas infecções e 192 mortes entre segunda e terça-feira, o que significa 3.130.184 casos e 69.801 óbitos pela covid-19 desde o começo da pandemia.

Dados os números, as autoridades sanitárias estão a trabalhar com as comunidades autónomas num plano de acção comum, com o questionado relaxamento das restrições no período de Natal ainda muito presente. A permissividade nesses dias levou a uma terceira vaga devastadora, da qual Espanha está a sair agora.

Apesar da tendência dos dados ainda ser favorável, os técnicos de saúde destacaram que é necessário controlar a transmissão do vírus SARS-CoV-2 o máximo possível e retomar o ritmo no processo de vacinação.

O Ministério da Saúde espanhol salienta que o objectivo é o de baixar os 50 casos por 100 mil habitantes em 14 dias e deixar para trás a terceira vaga, cujos efeitos na economia também têm sido devastadores: 4 milhões de desempregados em Fevereiro, o maior número desde 2016, e 900 mil trabalhadores em ‘lay-off’. A necessidade da retoma económica será novamente o principal argumento para tentar acelerar a saída do confinamento.

Foi nessa linha que se pronunciou a presidente regional de Madrid, Isabel Diaz Ayuso, que manifestou na terça-feira a intenção de continuar com a denominada semiabertura de toda a actividade na região, como tem sido feito nos últimos meses, contra os critérios das autoridades sanitárias nacionais.

Em contraste, a maioria das comunidades autónomas espanholas pediu ao Governo central um consenso sobre o plano para a Páscoa.

Em conferência de imprensa, a porta-voz do Governo espanhol, María Jesús Montero, afirmou que ainda se trata de um período especial e que por isso é necessário manter a cautela durante a Semana Santa e também na próxima semana, pedindo que o Dia Internacional da Mulher, na próxima segunda-feira, seja comemorado de uma maneira diferente, em que os riscos sejam evitados.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.