Hong Kong. Dezenas de militantes pró-democracia acusados de subversão

Fotografia: Studio Incendo 20190714 Hong Kong Shatin anti-extradition bill protest via photopin (license)

A polícia da Região Administrativa Especial de Hong Kong anunciou neste domingo que acusou 47 membros do movimento pró-democracia de subversão, ao abrigo da lei de segurança nacional.

As acusações acontecem um mês depois de uma grande operação ter sido desencadeada na qual 55 pessoas, incluindo algumas das figuras mais importantes do movimento pró-democracia, foram detidas: “A polícia acusou esta tarde 47 pessoas de conspirarem para cometer um acto de subversão'”, anunciou este domingo a polícia num comunicado.

As acusações podem resultar em condenações de prisão perpétua. Após as grandes manifestações pró-democracia de 2019 em Hong Kong, muitas vezes violentas, e da grande vitória dos candidatos da oposição nas eleições locais, Pequim respondeu com medidas rígidas.

Em Maio de 2020, a Assembleia Nacional Popular, controlado pelo Partido Comunista da China (PCC), impôs uma lei sobre a segurança nacional que contribuiu para amordaçar muitos nomes importantes da oposição de Hong Kong.

As manifestações estão proibidas e as autoridades, com o pretexto da pandemia, adiaram durante um ano as eleições legislativas nas quais a oposição pró-democracia era favorita.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.