Vacinação. Direcção Geral de Saúde pede “confiança no sistema”

A responsável pela Direcção Geral de Saúde de Portugal procurou esta quinta-feira garantir à população do país que as pessoas serão vacinadas, por entre uma revolta crescente contra os atrasos e contra o desrespeito pela ordem do plano de vacinação.

Na maior parte das últimas semanas, Portugal sofreu as maiores taxas de falecimentos e infecções per capita do mundo. Ao mesmo tempo, como sucede  noutros países da União Europeia, está demorando muito mais do que o Reino Unido ou que os Estados Unidos a distribuir as vacinas: “Todos serão vacinados, mas não podemos todos tomar (a vacina) no mesmo dia. Existem prioridades”, disse Graça Freitas aos jornalistas. “As pessoas precisam de confiar no sistema.

O sistema convidará todos a serem vacinados.”

Vários autarcas, o marido de uma médica e até a mãe de um padre foram inoculados antes da vez em Portugal, que ainda está a dar prioridades aos trabalhadores da saúde da linha de frente, idosos em casas de repouso e pessoas de mais de 80 anos.

O maior partido de oposição PSD disse que os responsáveis deviam enfrentar processos criminais. Deputados,  sindicatos e cidadãos frustrados fizeram críticas pesadas aos aproveitadores: “A fraude na vacinação mina a confiança dos cidadãos nas instituições”, escreveu o enfermeiro português Mario Macedo no Twitter. “As vacinas são escassas, e (a) fraude pode adiar o objectivo de proteger os mais vulneráveis.”

Num país de 10,3 milhões de habitantes, só cerca de 350 mil já receberam a primeira dose da vacina. Deste, 75 mil receberam uma segunda dose.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.