Reino Unido. Detectada nova mutação na “variante britânica” do coronavírus

As autoridades sanitárias do Reino Unido detectaram uma nova mutação na chamada “variante britânica” do coronavírus, que, receiam os especialistas, poderá reduzir a eficácia das actuais vacinas.

Numa análise de 214.159 amostras desta variante do vírus, conhecida tecnicamente como B117, cientistas da agência de saúde pública Public Health England (PHE) encontraram 11 casos da mutação E484K, que também se encontra nas variantes brasileira (B1128) e sul-africana (B1351).

Ao responder à informação desta terça-feira, Julian Tang, virologista da Universidade de Leicester, no centro de Inglaterra, disse que se trata de uma descoberta “preocupante” mas “não totalmente surpreendente”, pois é normal que os vírus sofram mutações.

Tang exortou a população a respeitar as restrições em vigor porque os vírus “não só se propagam como evoluem” para se adaptarem ao seu ambiente.

Tal como outros peritos, o académico advertiu que a propagação desta mutação dentro da variante britânica poderá afectar a eficácia das vacinas, tal como acontece com as variantes brasileiras e sul-africanas, embora continuem a oferecer alguns níveis de protecção.

Um estudo preliminar da universidade inglesa de Cambridge divulgado esta terça-feira indica que a vacina da Pfizer-BioNTech é eficaz contra a variante britânica mas é “menos eficaz” quando contém a mutação E484K, uma vez que “são necessários níveis substancialmente mais elevados de anticorpos para neutralizar o vírus”.

Embora existam milhares de variantes do coronavírus original a circular em todo o mundo, os especialistas estão a concentrar-se nestas três – britânica, sul-africana e brasileira – devido ao seu potencial contagioso e aparente maior resistência às vacinas.

Várias localidades em Inglaterra iniciaram precisamente esta terça-feira testes domiciliários para detectar e isolar casos positivos da variante sul-africana após indícios de que se está a alastrar entre a população do Reino Unido.

O Governo conservador confirmou esta iniciativa ontem após a detecção dos primeiros casos da variante em várias partes do país que não estão directamente ligadas a uma viagem à África do Sul ou outros casos positivos conhecidos.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.