Macau. Violência doméstica dispara em ano de pandemia

Em ano de pandemia, os crimes relacionados com o jogo caíram 74,9 por cento em comparação com 2019, mas as incidências relativas à violência doméstica aumentaram 8,4 por cento. Os dados relativos à criminalidade foram esta segunda-feira avançados pela Polícia Judiciária, em conferência de imprensa.

A polícia de investigação do território registou durante os doze meses de 2020 um total de 1114 crimes relacionados com o jogo, uma quebra acentuada face aos 5428 que a Judiciária tinha investigado em 2019.  

Entre o crimes mais relevantes associados ao universo do jogo, as autoridades de Macau identificaram 72 casos de agiotagem para jogo e 32 casos de sequestro associado à agiotagem para jogo. Os números revelam uma queda de cerca de 90 por cento em relação a 2019, justificada pela Polícia Judiciária com a quebra significativa “do número de visitantes” por causa das medidas de contingência do novo coronavírus impostas pelas autoridades locais.

No caso da violência doméstica, o regime de semi-confinamento territorial em que Macau está mergulhado há quase um ano resultou num maior número de incidências de natureza criminal, com a Polícia Judiciária a abrir um total de 116 investigações ‘ad hoc’ relativas a agressões entre membros da família. O registo representa um aumento de 8,4 por cento em relação ao mesmo período do ano passado”: “O aumento do número de conflitos familiares no ano passado não pode ser excluído como resultado do aumento do número de membros da família que ficaram em casa devido à epidemia e ao aumento do atrito devido a facctores financeiros ou outros fatores negativos”, lê-se no relatório.

O número de casos de violação e assédio sexual caiu 32,6 por cento e 27,8 por cento, respectivamente, mas os casos relativos a agressões sexuais a crianças e o material pornográfico interceptado e relacionado com menores aumentou.

Em 2020, a Polícia Judiciária investigou 19 casos de agressão sexual a crianças, mais oito casos do que em 2019:  “A maioria destes casos ocorreu em contextos educativos ou num ambiente doméstico”, salienta a polícia de investigação criminal.

Outro crime de natureza sexual que conheceu um aumentou significativo no último ano foi o de casos de pornografia envolvendo menores, com 129 casos registados ao longo dos doze meses de 2020: “Para combater o material pornográfico envolvendo menores, a Polícia Judiciária tem vindo a intensificar a sua cooperação com a Interpol”, indicaram.

No relatório anual esta segunda-feira apresentado, a Polícia Judiciária dá ainda conta que em 2020 foram instruídos no total 9.291 processos criminais, menos 40,38 por cento que em 2019, o número total de processos criminais concluídos na PJ foi de 11.427 (registo que caiu 25,5 por cento) e foram presentes ao Ministério Público 1.719 indivíduos, enquanto que em 2019 foram 4.191.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.