Guia Michelin. Macau com menos dois restaurantes distinguidos

A pandemia de Covid-19 não deixou incólume a lista dos mais badalados templos gastronómicos de Macau. O território perdeu dois restaurantes no rol dos estabelecimentos distinguidos com estrelas Michelin e conta agora com 18 distinções. A edição de 2021 do Guia para Macau e Hong Kong foi apresentada esta semana.

Macau perdeu dois restaurantes anteriormente distinguidos com estrelas Michelin, registo que deixa o território com 18 estabelecimentos, de acordo com a edição de 2021 do famoso Guia para o marcado gastronómico de Macau e Hong Kong.

Três dos 18 estabelecimentos distinguidos mantêm a classificação máxima, escreveu a organização do guia gastronómico no seu portal electrónica, na quarta-feira. O Robuchon au Dôme e The 8 Restaurant, ambos no hotel-casino Grand Lisboa, e o Jade Dragon, no City of Dreams, mantiveram a avaliação com que tinham sido distinguidos:  três estrelas.

O território conta ainda com seis restaurantes com duas estrelas e nove estabelecimentos distinguidos com uma estrela Michelin.. O último a engrossar a lista é o restaurante Wing Lei Palace .

Em destaque esteve também o  Restaurante Educacional do Instituto de Formação Turística, distinguido pela primeira vez com uma estrela Verde, uma distinção recentemente lançada que destaca os esforços dos restaurantes que fazem um esforço para desenvolver e instituir práticas sustentáveis.

Na distinção “Bib Gourmand”, conferida aos estabelecimento de restauração que oferecem menus de três pratos por menos de 400 patacas , mantêm-se sete estabelecimentos entre eles, o restaurante “O Castiço”, localizado na ilha da Taipa: “A edição de 2021 é uma celebração da coragem e criatividade da indústria da restauração, e do empenho em servir as comunidades locais, bem como o pessoal médico. O ano de 2020 foi um ano cheio de desafios, mas também de oportunidades para a inovação. Apesar dos tempos difíceis, as maravilhosas viagens culinárias e o talento (…) por detrás de cada prato proposto (…) em Hong Kong e Macau têm surpreendido os nossos inspectores”, salientou o diretor Internacional dos Guias Michelin, Gwendal Poullennec.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.