China. Resgatados mineiros soterrados há duas semanas

As equipas de socorro resgataram, neste domingo, 11 mineiros que se encontravam retidos há duas semanas a centenas de metros de profundidade numa mina de ouro no leste da China, enquanto se trava uma corrida contra o relógio para salvar os dez restantes.

O primeiro dos mineiros foi trazido à superfície às 11h , informou a televisão estatal CCTV. Ao longo do dia, mais dez trabalhadores foram resgatados.

A situação dos mineiros e a operação de resgate realizada geraram enorme comoção e atenção da comunicação social em todo país.

O rápido progresso nas operações de resgate foi possível graças à liberação repentina de uma conduta de ventilação da mina, de acordo com a agência de notícias chinesa Xinhua, que cita o centro de comando dessas operações.

O primeiro dos mineiros resgatados, “fisicamente fraco”, foi transportado para um hospital, informou a CCTV.

Após o resgate desses 11 mineiros, mais dez trabalhadores ainda permanecem soterrados, desde a explosão ocorrida a 10 de Janeiro na mina de ouro de Qixia, na província de Shandong.

 Os socorristas tentam há duas semanas resgatar os trabalhadores bloqueados a várias centenas de metros no subsolo e ameaçados pela subida das águas. Um dos mineiros presos não resistiu aos ferimentos sofridos e morreu na semana passada.

A deflagração obstruiu a conduta de ventilação e danificou o teleférico que permitia que os mineiros regressassem à superfície.

Obstáculos ultrapassados

Na manhã de domingo, os enormes obstáculos que obstruíam o poço resvalaram para o fundo, o que facilitou a “subida” dos mineiros à superfície. A ocorrência levou à suspensão das operações de perfuração.

As imagens da televisão pública mostraram inicialmente, neste domingo, uma enorme broca que trouxe à superfície um carrinho de mão com socorristas e um homem de máscara, aparentemente sem forças para permanecer de pé.

Este primeiro mineiro foi encontrado quando as equipas de resgate tentavam chegar a um grupo de dez mineiros. Um contacto foi estabelecido há uma semana com o grupo, que se encontrava preso a cerca de 580 metros de profundidade. Outro mineiro deste grupo morreu devido aos ferimentos causados pela explosão.

Graças a um cabo metálico introduzido por meio de uma conduta perfurado na rocha, os socorristas conseguiram enviar alimentos, remédios e telefones ao grupo de mineiros localizados pelas equipas de socorro.

Na sequência, as imagens mostram os socorristas a retirarem os outros mineiros, que usavam óculos escuros para se proteger da luz. Um deles uniu as mãos e parecia rezar.

As operações de perfuração foram complicadas pela estrutura geológica do solo, à base de rochas particularmente duras como o granito.

Na sexta-feira, as equipas de socorro estimaram que deviam ser  necessárias pelo menos duas semanas para libertar todos os trabalhadores, apesar do ritmo frenético dos trabalhos de perfuração.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.