China. Equipas de resgate precisam de mais 15 dias para resgatar mineiros

As equipes de resgate da República Popular da China estimam que levará pelo menos mais duas semanas para libertar os mineiros que se encontram retidos há 12 dias numa mina da  República Popular da  China, de acordo com a imprensa pública.

Um total de 22 trabalhadores de uma mina de ouro de Qixia, na província de Shandong, ficaram presos centenas de metros abaixo da  superfície após uma explosão, ocorrida a 10 de Janeiro.

Um mineiro morreu esta semana devido aos ferimentos. Dez estão a cerca de 580 metros de profundidade e comunicam por telefone com o exterior, mas os socorristas não têm informações sobre os restantes onze trabalhadores.

A estrutura geológica do solo, formada por granito e outras rochas duras complica as operações de perfuração, de acordo com a televisão pública CCTV: “Os obstáculos são muito grandes. Precisaremos de pelo menos mais 15 dias, ou até mais, antes de chegarmos aos mineiros”, disse Gong Haitao, vice-director do serviço de comunicação das autoridades locais.

Graças a um cabo de metal baixado por um túnel escavado na rocha, os socorristas conseguiram fazer chegar alimentos e remédios para o grupo de mineiros presos a 580 metros de profundidade.

Para trazer os homens à superfície, a equipe de resgate tenta alargar o tamanho de um dos túneis. Os socorristas estão, em simultâneo,  a perfurar outras vias de acesso. Esta sexta-feira, a CCTV divulgou imagens de escombros removidos do solo e de uma perfuração a ser realizada.

O grupo de 10 mineiros tentou localizar os desaparecidos usando lasers e alto-falantes, mas até agora sem sucesso, de acordo com a agência de notícias Xinhua.

Os acidentes em minas são comuns na China, onde este sector sofre com graves problemas de segurança e os regulamentos raramente são cumpridos.

Em Dezembro, 23 mineiros perderam a vida numa mina de carvão em Chongqing, no sudoeste do país.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.