Luxemburgo. Português condenado a prisão perpétua pela morte de ex-companheira

Marco Silva, cidadão português que se encontrava a ser julgado no Luxemburgo pela morte da antiga companheira, foi esta terça-feira condenado a prisão perpétua. O arguido tem agora quarenta dias  para apresentar recurso, disse à agêcia Lusa o porta-voz do Ministério Público luxemburguês.

“O senhor Marco Branco da Silva foi condenado a prisão perpétua por este crime, que apresentou contornos de premeditação”, disse o porta-voz do Ministério Público do Luxemburgo à agência Lusa.

“Os juízes levaram em conta o homicídio e os contornos de premeditação do crime, tendo chegado à sentença de prisão perpétua”, acrescentou Henri Eippers.

Questionado sobre a possibilidade de Marco Silva poder vir a apresentar recurso da decisão, Eippers disse que a decisão agora anunciada é passível de recurso, que “tem de ser apresentado nos próximos 40 dias”.

O Ministério Público do Luxemburgo pediu nas alegações finais, ouvidas a 26 de  Novembro, a prisão perpétua para Marco Silva por ter assassinado e queimado o corpo da antiga companheira, a portuguesa Ana Lopes, no crime que ocorreu de 15 para 16 de Janeiro de 2017, entre o Luxemburgo e França.

Em Junho de 2017, a polícia luxemburguesa colocou em prisão preventiva Marco Silva, ex-companheiro da falecida Ana Lopes, com quem tem uma criança. O português está detido no Centro Penitenciário de Schrassig, no grão-ducado.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.