Ford anuncia o encerramento de todas as suas fábricas no Brasil

A Ford anunciou esta segunda-feira que vai encerrar este ano as suas três fábricas no Brasil como parte de uma reestruturação das operações na América Latina, uma decisão com um custo total de 4.100 milhões de dólares.
 
A produção será encerrada “imediatamente” nas fábricas de Camaçari (Bahia) e Taubaté (São Paulo), mas continuarão a fornecer peças “por vários meses para dar suporte aos estoques”, enquanto a de Horizonte (Ceará) continuará a funcionar até ao quarto trimestre de 2021, de acordo com a empres
“Estamos a mudar para um modelo de negócios mais austero e leve em activos ao encerrar a produção no Brasil e servir aos clientes com alguns dos melhores e mais excitantes veículos do nosso portfólio global”, disse em comunicado o presidente e CEO da empresa, Jim Farley.
A Ford vai manter as operações de atendimento ao cliente no Brasil, incluindo vendas, serviço, pós-venda e suporte de garantia, assim como o seu centro de desenvolvimento de produtos na Bahia, o seu campo de testes em Tatuí (São Paulo) e sua sede regional, também em São Paulo.
De acordo com a nota, o fecho das três fábricas acontece pois a “pandemia de Covid-19 amplifica uma persistente capacidade ociosa da indústria e a queda nas vendas, o que resultou em anos de perdas significativas” no meio de um “ambiente económico desfavorável”.
A decisão vai afectar cerca de 5.000 trabalhadores, segundo a emissora americana “CNBC”, e significa que a Ford deixará de vender os modelos EcoSport, Ka e T4 quando os estoques esgotarem.
A reestruturação empresarial da Ford na América Latina, que visa reduzir custos e aumentar a eficiência, pretende oferecer aos clientes da região uma carteira de veículos cada vez mais ligados e eléctricos produzidos na Argentina, no Uruguai e em outros países.
“Com mais de um século na América do Sul e no Brasil, sabemos que estas são acções muito difíceis, mas necessárias para criar um negócio saudável e sustentável”, disse Farley, que está a trabalhar com os sindicatos e outras partes interessadas num “plano para mitigar os impactos” do fim da produção.
A Ford, que recentemente anunciou a produção de uma nova geração do Ranger e o lançamento do Bronco, Mustang Mach 1 e Transit, planeia introduzir “outros modelos totalmente novos no mercado”.
A companhia ressaltou que as operações de produção em Argentina e Uruguai não serão afectadas por estas decisões.
A reestruturação anunciada na segunda é parte de um plano global abrangente, estimado em 11.000 milhões de dólares e iniciado pelo ex-executivo da Ford Jim Hackett, que tem o objectivo de melhorar os lucros e a liquidez.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.