Covid-19. Portugal com o “dia mais negro” desde o início da pandemia

Portugal notificou na segunda-feira 122 óbitos por Covid-19, um novo máximo na pandemia, para além de mais um forte aumento dos pacientes hospitalizados, que se aproximam dos 4.000. Segundo o último balanço da Direcção Geral da Saúde (DGS), o número de mortos registados nas últimas 24 horas ultrapassa o máximo anterior, os 118 óbitos reportados na sexta-feira.

Trata-se do quarto dia em que o número de vítimas subiu acima da centena. Quanto aos contagiados, foram notificados 5.604, abaixo dos números dos dias anteriores, quando se chegaram a ultrapassar os 10.000 em várias ocasiões, mas habitualmente a segunda-feira regista valores mais baixos que o resto da semana devido ao efeito do fim de semana e de serem feitos menos testes.

O país acumula 489.293 casos desde Março, mais de 109.000 atualmente activos -um novo pico-, e 7.925 mortos.

A situação nos hospitais, que já era complicada, continua a piorar, e o número de hospitalizados não para de aumentar diariamente desde 1 de Janeiro.

Os pacientes com Covid-19 nos hospitais portugueses são actualmente 3.983 (mais 213 que no domingo), 567 destes nos cuidados intensivos (mais 9).

O Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, que integra seis hospitais da capital, e o de São José, no Porto, anunciaram esta segunda-feira que activaram o último nível do plano de contingência para a Covid-19 de forma a habilitar mais camas para estes pacientes.

Vários hospitais de todo o país alertaram para problemas de saturação na última semana, que obrigaram inclusivamente a transferir pacientes para outros hospitais.

Face ao agravamento da situação, a ministra da Saúde, Marta Temido, admitiu esta segunda que poderão ser utilizados “outros mecanismos”, como por exemplo a chamada requisição civil – que permite mobilizar recursos do sector privado e social – para apoiar os hospitais públicos.

Segundo Temido, os acordos celebrados com entidades privadas e sociais permitem garantir cerca de 150 camas para pacientes com Covid-19 no norte do país, enquanto que em Lisboa há menos disponibilidade, à volta de uma centena.

O Governo português prepara-se também para ordenar um novo confinamento, similar ao da primeira vaga, durante pelo menos 15 dias para travar a forte subida dos contágios registada depois do Natal e do Ano Novo.

Foi convocada uma reunião com especialistas para esta terça-feira para avaliar a situação epidemiológica, e na quarta o Governo vai-se reunir para adoptar medidas.Portugal está em estado de emergência, o nível mais elevado, até 15 de Janeiro, embora deverá ter que ser prolongado por mais 15 dias.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.