Macau. Governo sem soluções para ajudar residentes que querem voltar

As autoridades de Macau reiteraram na segunda-feira que não tem soluções para permitir o regresso dos residentes que queiram voltar ao território, depois das autoridades de Taiwan terem anunciado no final de Dezembro a decisão de proibirem a entrada de cidadãos estrangeiros. O anúncio deixou vários cidadãos portugueses sem forma de regressar à RAEM.

“Não temos um arranjo lançado ou ponderado”, anunciou uma representante da Direcção dos Serviços de Turismo, em conferência de imprensa. O Governo recebeu mais de 30 pedidos de residentes que fizeram consultas ou manifestaram a sua intenção de regressar a Macau.

Muitas pessoas optaram por sair do território sem terem avaliado a sua necessidade real de agirem como agiram, avisaram ainda as autoridades.

Em causa está a decisão anunciada pelas autoridades de Taiwan, de proibir desde 1 de Janeiro, a entrada a cidadãos estrangeiros, após terem registado o primeiro caso de variante do novo coronavírus descoberta no Reino Unido. Taipé não permitiu sequer a manutenção de voos de trânsito, que permitiam ligar Macau a outros destinos internacionais, como Portugal ou outros países europeus.

Em relação à decisão do Executivo taiwanês, que dificulta, em muito, o regresso de residentes ao território, as autoridades indicaram que as “mudanças de trânsito não impedem vias ou roteiros para regressar a Macau”. O Governo sustenta que os residentes podem regressar através de Tóquio, apesar de admitirem que existem poucos voos.

Caso tenham passaporte chinês – o que não é o caso dos residentes de Macau de nacionalidade portuguesa – podem regressar através da China continental, lembraram ainda os representantes do Governo.Um dia depois de Taiwan ter dado dconta das novas directivas relativas à entrada em território formosino, o Consulado Geral de Portugal em Macau e Hong Kong disse que está a desenvolver contactos com as autoridades locais para ajudar a regressar os portugueses que vivem e trabalham na Região Administrativa Especial:  “O Consulado Geral de Portugal tomou conhecimento da situação de diversos portugueses com estatuto de residente na RAEM [Região Administrativa Especial de Macau] que se encontram em Portugal e pretendem regressar a Macau”, indicou o organismo numa pequena nota de imprensa publicada na rede social Facebook. “Face à decisão das autoridades de Taiwan proibirem a entrada e o trânsito de estrangeiros, o Consulado Geral de Portugal está a desenvolver contactos com as autoridades da RAEM, responsáveis pelo regresso dos seus residentes a Macau, no sentido de ser encontrada, em conjunto, uma solução para o problema”, revelou, na altura, a representação diplomática de Portugal no território.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.