Rússia. Buscas prosseguem após naufrágio no Árctico

As operações de busca prosseguiram pelo ar e mar nesta terça-feira para tentar encontrar 17 pescadores russos desaparecidos após um naufrágio no Ártico, apesar das poucas hipóteses de os localizar.

“Continuamos oficialmente a operação de busca”, disse à AFP Alexei Kravshenko, porta-voz da Rosmorrechflot, a agência russa de transporte marítimo e fluvial. O mesmo responsável afirmou que dois barcos foram enviados para a zona, assim como um avião de busca AN-74.

Um representante dos serviços de resgate, entrevistado pela agência de notícias TASS, disse sob anonimato que “não há quase qualquer hipótese” de encontrar os corpos dos desaparecidos: “Os barcos pesqueiros percorreram cerca de 500 quilómetros quadrados. Não conseguiram nenhum resultado”, acrescentou a fonte.

Outra fonte, também citada pela TASS, afirmou que os 17 marinheiros muito provavelmente estão mortos porque não conseguiriam suportar mais de 30 minutos na água gelada.

Um representante dos serviços de resgate, citado pela agência Ria Novosti e também sob anonimato, indicou que os corpos se encontrariam a cerca de 130 metros de profundidade e que um aparelho de busca submarina chegaria em breve ao local.

O navio “Onega”, com base em Múrmansk, um grande porto no Árctico russo, lançou sinais de socorro às primeiras horas de segunda-feira antes de naufragar nas costas do arquipélago de Nova Zembla, no mar de Barents, onde tentava pescar no meio de uma tempestade.

Dois marinheiros, de uma tripulação de 19, foram resgatados minutos após o naufrágio, entre fortes ventos e temperaturas abaixo dos -20ºC.O barco, coberto de gelo, afundou-se quando a tripulação levantou uma rede com pescado, segundo as autoridades. Nesta terça-feira, a região de Murmansk declarou um dia de luto.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.