Covid-19. Mais de metade dos russos não querem ser vacinados

Uma sondagem divulgada na segunda-feira na Rússia indicou que 58 por cento da população não pretende ser vacinada contra a Covid-19 num cenário marcado pela incerteza sobre quando o presidente do país, Vladimir Putin, será imunizado com a Sputnik V.

De acordo com os dados divulgados pelo Centro Levada, mais de metade da população não quer a aplicação da vacina, seja porque querem esperar pelos resultados definitivos dos testes clínicos ou por receio de efeitos secundários.

Entre os consultados na sondagem, 38 por cento esperam ser imunizados o quanto antes, enquanto 57 por cento dos entrevistados temem contrair o coronavírus.

O ministro da Saúde do país, Mikhail Murashko, garantiu que os testes mais recentes confirmaram que o uso da Sputnik V, produzida pelo Centro Gamaleya e pelo Fundo de Investimentos Directos da Rússia (RDIF), não representa riscos para idosos.

O RDIF divulgou esta segunda que os dados das análises clínicas indicaram uma eficácia maior de 90 por cento da vacina contra a Covid-19 entre os idosos.

Murashko autorizou no último sábado a aplicação da vacina produzida em território russo em pessoas com mais de 60 anos, já que, até então, a faixa etária dos aptos a receberem a aplicação era de 18 a 60.

No entanto, ainda não há notícias sobre quando Putin será vacinado. O presidente russo já garantiu publicamente que será imunizado, embora não tenha sido marcada data ou divulgado se haverá cobertura de imprensa do acto: “(Putin) disse que se vai vacinar, mas que será ele a comunicar quando e como vai acontecer”, informou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, em conferência de imprensa.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.