Camboja. Rappers condenados por críticas ao Governo

Um tribunal cambojano condenou na terça-feira a penas de prisão dois cantores de rap por “incitamento a delitos” através das letras de canções em que comentam assuntos sociais e criticam o Governo.    

Os dois artistas – Kea Sokun, de 22 anos, e Log Putheara, de 17 –  estavam detidos desde o início de Setembro depois de ter sido apresentada uma denúncia junto do Ministério da Arte e Cultura contra algumas das letras de que são autores. Nos temas, Sokun e Putheara reprovam a resposta governamental aos problemas económicos e fronteiriços com que o Camboja se depara.

De acordo com a agência EFE, o tribunal da cidade de Siem Reap condenou Sokun, que durante o julgamento não se deu como culpado e considerou que não tem de se desculpar, a um ano e meio de prisão, relatou em comunicado a Liga Cambojana para a Promoção dos Direitos Humanos.

Putheara, que admitiu ter sido um erro publicar as canções sobre assuntos sociais, pode vir a ser libertado depois de cumprir uma pena de três meses e 11 dias, apesar de já ter passado cinco meses na prisão. 

Vários organismos internacionais criticaram, nos últimos meses, o endurecimento das restrições contra a sociedade civil no Camboja, e pedem o fim das detenções e o excessivo uso da força contra activistas sociais e políticos. 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.