Hong Kong. Morreu Leticia Lee, rosto da oposição ao movimento pró-democrático

A activista pró-governamental da vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong, Leticia Lee See-yin, morreu esta quarta-feira, com análises post-mortem a revelarem que a fundadora da “Justice Alliance” testou positivo para a Covid-19. A causa da morte continua, no entanto, por apurar, disseram fontes médicas ao jornal South China Morning Post.

Lee, de 56 anos, foi declarada morta à chegada ao Hospital Pok Oi, para onde foi transportada depois de ter perdido os sentidos em casa.

Um porta-voz da polícia confirmou que o marido de uma mulher de 56 anos de idade, de sobrenome Lee, chamado uma ambulância a um complexo residencial de Yuen Long pouco após a meia noite, depois de ter perdido os sentidos em casa. As autoridades de Hong Kong vão conduzir uma autópsia para apurar as causas da morte.

Apoiante “número um” das forças policiais de Hong Kong e fundadora do grupo pró-governamental Justice Alliance, a morte súbita de Lee gerou ampla discussão e especulação nas redes sociais.

O seu último comentário público data de sábado, quando de manifestou no Facebook para criticar o activista pró-independência Baggio Leung Chung-hang por ter pedido asilo político nos Estados Unidos, dizendo que o país era “de facto um paraíso para fugitivos de Hong Kong”.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.