Azerbaijão anuncia novas perdas militares em Nagorno-Karabakh

O Azerbaijão informou no domingo que quatro militares faleceram em incidentes recentes com tropas da Arménia na região disputada de Nagorno Karabakh, apesar do cessar-fogo estabelecido em Novembro. Yerevan, por sua vez, acusa Baku de ter violado a trégua.

Num comunicado, o ministério da Defesa azeri afirma que grupos armados arménios se negaram a abandonar as zonas florestais do nordeste do município de Hadrut, em violação ao estabelecido pelo cessar-fogo, e que realizaram “provocações terroristas e tácticas de guerrilha”.

Baku afirma que em dois incidentes, registados em 26 de Novembro e 8 de Dezembro, quatro militares morreram e três ficaram feridos.

O pacto, que entrou em vigor em 10 de Novembro, após seis semanas de combates, que deixaram mais de 5.000 mortos, confirmou a derrota das forças arménias e representou importantes conquistas territoriais para Baku.

Durante as seis semanas de combates, Baku não anunciou baixas militares e esperou o fim do conflito para avançar com um balanço.

Algumas horas antes do anúncio azeri, a Arménia afirmou que seis militares do país ficaram feridos no sábado em Nagorno Karabakh, durante uma violação do cessar-fogo.

Num comunicado, o ministério arménio da Defesa acusou o Azerbaijão de ter executado um ataque contra duas localidades com “veículos blindados e artilharia pesada”: “Após os combates, que demoraram várias horas, o inimigo conseguiu entrar na localidade de Jin Tajer e se aproximou de Jtsaberd”, afirma a nota.

No sábado, o exército azeri negou ter executado um ataque e afirmou que respondeu a “provocações” arménias, adoptando as “medidas de retaliação adequadas”.

As duas localidades ficam no distrito de Hadrut e estão próximas da nova linha de demarcação que separa os dois lados no sul de Nagorno Karabakh, de acordo com o acordo de cessar-fogo.

Num comunicado, a diplomacia arménia acusou Baku de persistir com as “provocações” em Hadrut no domingo.

O exército da Rússia, que enviou forças de paz para a região, confirmou no sábado “um caso de violação do cessar-fogo” na sexta-feira 11 de Dezembro, mas não aponta um responsável.

Esta foi a primeira violação do tipo confirmada por Moscovo desde o início do cessar-fogo.

Durante uma reunião celebrada no sábado em Baku com os representantes francês e americano do Grupo de Minsk, o presidente azeri, Ilham Aliyev, mostrou-se “preocupado” com as notícias de novos combates, mas prometeu derrotar as forças arménias em caso de retomada dos confrontos.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.