Covid-19. AstraZeneca vai estudar combinação com a russa Sputnik V

A farmacêutica britânica AstraZeneca confirmou na sexta-feira que vai dentro em breve começar a investigar a combinação da sua vacina contra a Covid-19 com uma das soluções propostas pela Rússia, a Sputnik V, a fim de aumentar a sua eficácia.

Num comunicado divulgado esta sexta-feira no seu site, a farmacêutica sublinha que “poder combinar diferentes vacinas contra a Covid-19 poderá ajudar a uma melhor protecção e/ou melhorar a acessibilidade da vacina”.

A gigante farmacêutica, que vai produzir a vacina concebida na Universidade de Oxford, indica também que é “importante explorar diferentes combinações de vacinas para ajudar a que os programas de imunização sejam mais flexíveis, permitindo aos cientistas uma melhor escolha” de vacinas, assim como contribuir para melhorar “a imunidade a longo prazo”.

A AstraZeneca admite em comunicado que “é claro que para ultrapassar a pandemia de Covid-19 será necessária mais do que uma vacina” e recorda que o Governo britânico anunciou recentemente que vai dar início a um ensaio clínico no qual as vacinas de adenovírus serão combinadas com outras de tecnologia de ARNm.

A companhia britânica está também a contemplar como pode avaliar combinações heterólogas de diferentes vacinas, estando a trabalhar com parceiros da indústria, governos e instituições de investigação de todo o mundo.

A AstraZeneca confirmou ainda que “em breve começará a explorar com o Instituto de Investigação russo Gamaleya para compreender se duas vacinas baseadas em adenovírus podem ser bem sucedidas uma vez combinadas.

“A avaliação de diferentes tipos de vacinas combinadas da covid-19 poderá ajudar a desbloquear sinergias na proteção e melhorar o acesso à vacina e pode fornecer um foco adicional para ajudar a ultrapassar este vírus mortal”, diz a farmacêutica.

Por seu lado, os cientistas que desenvolveram a preparação russa acreditam que uma tal combinação poderia “intensificar a eficácia” do medicamento.

Nesse sentido, os especialistas russos sugeriram à AstraZeneca, numa mensagem publicada no Twitter, que tentasse esta combinação.

Na sua mensagem publicada no final de Novembro, os cientistas russos disseram: “Se (a AstraZeneca) realizar um novo teste clínico, sugerimos que se teste um regime de combinação da injecção da (vacina da) AZ com a injecção do vector adenoviral humano #SputnikV para aumentar a eficácia”.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.