Jornalista chinesa da Bloomberg detida em Pequim

Autoridades da República Popular da China detiveram uma cidadã chinesa que trabalha para a Bloomberg em Pequim. Haze Fan é suspeita de atentar contra segurança nacional, noticiou a Bloomberg nesta sexta-feira.

De acordo com as informações avançadas pela agência financeira, Haze Fan foi vista a sair do edifício em que residia escoltada por agentes de segurança à paisana na passada segunda-feira: “Fan, uma cidadã chinesa, foi detida pelo Gabinete de Segurança Nacional de Pequim, de acordo com a lei chinesa relevante sob suspeita de envolvimento em actividades criminosas que ameaçam a segurança nacional. O caso está em investigação actualmente. Os direitos legítimos da senhora Fan foram plenamente assegurados e a sua família foi notificada”, disseram as autoridades chinesas, citadas pela Bloomberg.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês não respondeu de imediato às perguntas enviadas pela agência Reuters, que contactou também o Gabinete de Segurança Nacional: “Estamos muito preocupados com ela e estamos continuamente  em diálogo com as autoridades chinesas para entender melhor a situação. Continuamos a fazer tudo que podemos para lhe fazer chegar apoio enquanto tentamos obter mais informações”, disse uma porta-voz da Bloomberg, empresa que tem sede em Nova Iorque, num comunicado enviado à agência Reuters por e-mail.

Fan trabalha para a Bloomberg desde 2017, e já trabalhou para outros meios de comunicação social estrangeiros como a CNBC, a CBS News, a Al Jazeera e a agência Reuters, explicou a Bloomberg. Os cidadãos chineses que trabalham para empresas de comunicação estrangeiras na China são categorizados como assistentes de imprensa.

A imprensa estrangeira que actua na China tem vindo a sofrer uma pressão crescente, e o país expulsou mais de uma dúzia de jornalistas estrangeiros de meios de comunicação social dos Estados Unidos este ano, cancelando as suas credenciais de imprensa devido à deterioração das relações entre Pequim e Washington.

Em Agosto, as autoridades de Pequim detiveram Cheng Lei, cidadão australiana nascido na China que trabalhava para a emissora estatal chinesa CGTN, devido à suspeita de actividades ilegais que ameaçavam a segurança nacional chinesa.

Em Setembro, a Austrália ajudou dois correspondentes estrangeiros australianos depois de eles terem sido interrogados pelo Ministério da Segurança Estatal chinês.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.