Iceberg do tamanho do Luxemburgo ameaça dependência britânica

O iceberg A68a está a fazer uma jornada lenta rumo a um potencial desastre. A enorme massa de gelo, que se soltou da plataforma de gelo Antárctica Larsen C em Julho de 2017, deslizou em direção ao mar aberto durante dois anos até atingir a poderosa Corrente Circumpolar que circunda o continente gelado.

As correntes empurraram o iceberg para nordeste através do que os cientistas chamam de “passagem de icebergs” e a gigantesca estrutura  segue agora para a ilha da Geórgia do Sul e pode chocar com a pequena possessão britânica do Atlântico Sul, rica em vida selvagem, dentro de dias.

Com uma dimensão de 4.200 quilómetros quadrados, o iceberg é maior do que Singapura ou que o Luxemburgo: “Não houve nada assim tão grande em toda a história da ciência que tenhamos visto a ir em direcção à Geórgia do Sul”, disse Geraint Tarling, oceanógrafo biólogo da Observação Britânica Antárctica.

“Normalmente, podíamos esperar que estes icebergs se despedaçassem em pleno oceano”.

Os cientistas dizem que o iceberg pode chocar com a plataforma da ilha, aniquilando toda a vida submarina. Se a massa de gelo se acoplar ao flanco da ilha, poderá permanecer agarrada a ela por um perído de tempo de até 10 anos, até o gelo derreter ou se fragmentar, disse Tarling.

O fenómeno poderia impedir que muitos dos dois milhões de pinguins da ilha de alcançarem as águas para alimentar os filhotes. A água doce que se soltar do iceberg também pode tornar as águas inóspitas para o fitoplâncton e outras criaturas da cadeia alimentar.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.