Venezuela. Macau em destaque em festival literário pela pena de Miguel Senna Fernandes

Fotografia: Alexandra Ferreira/O Clarim

Depois de no início de Outubro se ter estreado nas lides literárias com “Crónicas à Sexta”, Miguel de Senna Fernandes participa este sábado, ainda que de forma virtual, no seu primeiro festival fora de portas. Ao 1o Encontro Virtual de Escritores Lusófonos na Venezuela, o advogado e encenador dos Dóci Papiaçam di Macau leva a sua primeira incursão pelo universo da prosa, mas também a obra do pai, Henrique de Senna Fernandes.

Marco Carvalho

Dez anos após o desaparecimento do autor de “Amor e Dedinhos de Pé” e de “A Trança Feiticeira” – dois dos maiores clássicos da literatura luso-asiática –  há um outro Senna Fernandes com os pés fincados na ribalta literária. Advogado, cronista, dramaturgo, motor e combustível do grupo de teatro Dóci Papiaçam di Macau, Miguel de Senna Fernandes estreia-se este sábado, às primeiras horas da manhã, no seu primeiro festival literário fora de portas. O escritor macaense é um dos sete autores convidados da edição inaugural do Primeiro Encontro Virtual de Escritores Lusófonos, uma iniciativa dinamizada pela Embaixada de Portugal na Venezuela e pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua que teve início na terça-feira e termina este sábado, com as intervenções do venezuelano Juan Martins e do brasileiro Julían Fuks.

A primeira obra literária  – “Crónicas à Sexta” – de Miguel de Senna Fernandes foi lançada a 4 de Outubro, dez anos exactos após a morte do pai, Henrique de Senna Fernandes. O lançamento,  que se materializou no âmbito da edição de 2020 do “Rota das Letras”, pautou ainda a estreia de Senna Fernandes em festivais literários na qualidade de autor, abrindo a porta a mais altos voos: “Fico muito grato por se terem lembrado de mim, agora que me estreei nas lides literárias, pelo menos nas lides da prosa. É uma boa oportunidade. Só tenho a agradecer à organização do Festival, que quis ter um representante de Macau. Mostraram interesse em contar com a minha participação e estou muito grato por isso”, reconhece Miguel de Senna Fernandes, em declarações ao Expediente Sínico. “É algo que me deixa muito honrado”, assegura.

A edição inaugural  do Encontro de Escritores Lusófonos na Venezuela homenageia Fernando Pessoa e ao longo dos últimos dias reuniu intervenções de escritores e académicos de renome, como foi o caso do moçambicano Delmar Maia Gonçalves,  de Luísa Timóteo, da luso-americana Deana Barroqueiro e do “pessoísta” colombiano Jerónimo Pizarro. Para Miguel de Senna Fernandes poder dividir o palco, ainda que virtual, com nomes consagrados das letras e da academia é um importante incentivo para continuar a criar: “Participo mais numa perspectiva de ver, até porque me considero ainda uma espécie de outsider nisto. Mas participo com toda a vontade, com toda a determinação de entrar neste círculo. Quero escrever mais e esta veia literária na prosa vai ter que se expandir, vai ter que se desenvolver. É uma boa oportunidade para entrar neste círculo e espero participar mais. É isso que eu espero”, confessa o também presidente da Associação dos Macaenses. “Fui desafiado a participar e qual não foi o meu espanto quando dei por mim entre alguns escritores que admiro muito, como é o caso da Deana Barroqueiro. Sou um grande fã da Deana”, remata.

O 1º Encontro Virtual de Escritores Lusófonos na Venezuela, foi organizado pela Embaixada de Portugal em Caracas, o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e a Coordenação de Ensino Português na Venezuela (CEPE-Venezuela). O certame conta ainda com o apoio do Instituto Português de Cultura, a Caixa Geral de Depósitos, o jornal de expressão portuguesa Correio da Venezuela e a fundação Coração em Malaca.

A intervenção de Miguel de Senna Fernandes no evento está agendada para as oito da manhã deste sábado, horário de Macau, e pode ser acompanhada através das redes sociais – Facebook, Twitter e Instagram – da Coordenação do Ensino do Português na Venezuela e do jornal Correio da Venezuela. As sessões são também transmitidas em directo no You Tube e na página web www.cepe-venezuela.org.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.