Rússia. Gatos do Museu Hermitage herdam “pequena fortuna”

Um médico francês deixou uma herança de 3 mil euros aos gatos que vivem nas caves do Hermitage, em São Petersburgo, e que se tornaram um dos símbolos da cidade, informou o famoso museu russo na terça-feira.

“Recebemos a informação sobre a herança este Verão. Por enquanto, o procedimento está na fase da burocracia legal que está praticamente na sua fase final”, informou o serviço de imprensa do maior museu de arte da Rússia.

De acordo com fonte, a “fortuna” foi deixada por Christophe Batard, um médico francês que morreu aos 51 anos: “O nosso amigo francês fez algo notável. É um gesto belíssimo”, comentou na segunda-feira o director do Hermitage, Mikhail Piotrovski, durante uma conferência de imprensa, propondo que o dinheiro herdado pelos gatos seja utilizado para restaurar as divisões onde vivem.

A história dos gatos do Hermitage remonta à assinatura, em 1745, pela imperatriz Isabel I, filha de Pedro o Grande, de uma ordem para “encontrar em Kazan os melhores gatos, os maiores, e mais aptos para capturar ratazanas, com a intenção de os enviar à corte de Sua Majestade”.

O Hermitage abriga actualmente cerca de 70 gatos que caçam roedores neste vasto museu da antiga capital imperial russa.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.