Istanbul Basaksehir e Paris Saint-Germain abandonam campo após alegado insulto racista do quarto árbitro

Os jogadores do Istanbul Basaksehir e do Paris Saint-Germain abandonaram o relvado do Parc des Princes esta terça-feira, durante o primeiro tempo do embate que protagonizavam a contar para o grupo H da Liga dos Campeões, depois de um membro da comissão técnica do clube turco ter alegado que foi alvo de um insulto racista do quarto árbitro.

O episódio aconteceu aos 20 minutos, quando o placard permanecia empatado sem golos. O árbitro do duelo, o romeno Ovidiu Alin Hategan, marcou uma falta a favor do PSG, provocando protestos do antigo atacante camaronês e treinador adjunto Pierre Webó.

Alertado pelo quarto árbitro, o também romeno Sebastian Coltescu, o árbitro foi para a linha lateral e ouviu do compatriota que a reclamação foi feita pelo “negro”, conforme alegou o próprio Webó.

Devido ao uso dessa palavra, que em alguns idiomas tem uma conotação racista, o camaronês e todos os que estavam no banco de reservas do clube turco começaram a protestar.

Coltescu alegou que não chamou Webó de “negro” para o insultar. Porém, a explicação não convenceu os jogadores do Istanbul, que repudiaram o quarto árbitro por usar a cor da pele para identificar o camaronês: “Por que quando se refere a um branco, não o chama de branco?”, perguntaram.

O quarto árbitro defendeu-se assegurando que, na sua língua materna, a palavra “negro” não tem conotações racistas.

Diante do tumulto, e apesar da intervenção do delegado da UEFA, os jogadores de ambas as equipas foram para os balneários, e o futuro da partida está em discussão.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.