Brasil. Pelo menos 16 mortos em acidente com autocarro em Minas Gerais

Pelo menos 16 pessoas morreram e 27 ficaram feridas na sexta-feira no estado brasileiro de Minas Gerais, quando o autocarro no qual viajavam caiu de uma altura de mais de 20 metros, informaram os bombeiros.

O autocarro com 46 passageiros passava pelo viaduto da “Ponte Torta” quando caiu sobre uma ferrovia nas proximidades do município de João Monlevade, no interior de Minas Gerais, após supostamente ter perdido os travões, indicaram as investigações preliminares.

Doze pessoas morreram no local do acidente, três no hospital e uma a caminho, de acordo com um balanço dos bombeiros. Imagens divulgadas pelos bombeiros mostram o veículo completamente destruído ao fundo de um barranco.

O motorista, de acordo com os peritos na sua investigação preliminar, “perdeu o controle do veículo após uma suposta falha mecânica nos travões”: “O motorista gritou que tinha perdido os travões e o autocarro começou a andar de marcha atrás, descontrolado, batendo na protecção lateral da ponte” pela qual passou até cair, relata a nota.

“Seis pessoas conseguiram pular do autocarro antes dele cair, incluindo o motorista, que ainda não foi localizado.” Três deles “não precisaram de cuidados médicos”.

A empresa proprietária do autocarro operava sem autorização para transporte de passageiros, de acordo com a Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP), citada pela imprensa local.

A rodovia BR-381, onde ocorreu o acidente, é “historicamente a que tem mais acidentes e fatalidades no estado”, disse o governador de Minas Gerais, Romeu Zema.

No dia 25 de Novembro, uma colisão entre um camião e um autocarro perto da cidade de Taguaí, no estado de São Paulo, deixou 41 mortos e 10 feridos, a maioria trabalhadores de uma empresa têxtil.

As autoridades de trânsito brasileiras estimam que entre 2015 e 2019 morreram em média 30.000 pessoas por ano em acidentes de trânsito no país.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.