Camboja. Cher recebe elefante que ajudou a salvar no Paquistão

Após anos de maus-tratos num Jardim Zoológico do Paquistão, o “elefante mais solitário do mundo” chegou ao Camboja esta segunda-feira, onde foi recebido pela superestrela americana Cher, que o vai acompanhar a um santuário que abriga outros paquidermes.

O caso de Kaavan – um elefante de 36 anos com excesso de peso – causou polémica entre grupos de defesa dos animais, que solicitaram a sua transferência de um Jardim Zoológico de Islamabad, acusado de oferecer condições e cuidados deficientes.

A causa foi promovida pela cantora numa campanha nas redes sociais, que viajou para o Paquistão para assistir à libertação do animal. Com uma máscara preta, Cher foi vista no aeroporto de Siem Reap, no noroeste do Camboja, e acenou com entusiasmo depois do pouso do avião que transportava o animal, a meio da tarde desta segunda-feira.

A tão esperada viagem de Kaavan decorreu “sem incidentes”, disse Amir Khali, veterinário do grupo de bem-estar animal Four Paws, acrescentando que se comportou “como um viajante frequente”: “Kaavan comeu, não estava stressado. Estava até um pouco sonolento, de pé, apoiado na parede da jaula”, explicou Khali.

O animal será transportado de Siem Reap para a província vizinha de Oddar Meanchey, onde um santuário de vida selvagem com 600 outros elefantes será o seu novo lar.

Conhecido como o “elefante mais solitário do mundo”, Kaavan vivia em condições muito precárias no centro da capital paquistanesa.

“O Camboja tem o prazer de receber Kaavan. Vai deixar de ser o elefante mais solitário do mundo”, disse o vice-ministro do Meio Ambiente, Neth Pheaktra, à AFP.

Kaavan era o único elefante asiático no Paquistão. Os outros, muito poucos, eram paquidermes africanos.

A administração do Jardim Zoológico negou que o animal tenha sido maltratado e considerou que seu estado se devia ao facto de estar à espera de uma nova companheira, após a morte de Saheli. A fêmea morreu de gangrena, em 2012.

Especialistas internacionais observaram que Kaavan apresentava um comportamento estereotipado: com frequência, apenas gira a cabeça e o tronco de um lado para o outro durante horas, o que suscitou questões sobre a sua saúde mental.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.