Bielorrússia. Lukashenko sai quando nova constituição for adoptada

O líder de Bielorrússia, Alexander Lukashenko, disse na sexta-feira que tencionar abandonar o poder assim que uma nova Constituição for adoptada e propôs reduzir os poderes presidenciais como parte das reformas. O líder da antiga república soviética não estabeleceu, no entanto, um cronograma para a execução das medidas.

Lukashenko, que tem vindo a enfrentar protestos em massa desde as eleições presidências de 9 de Agosto, pronunciou-se sobre a reforma política no país depois de ter estado reunido com o Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, que o terá aconselhado a avançar com reformas constitucionais para mitigar a crise política em que o país está mergulhado.

“Não trabalharei como presidente convosco sob uma nova Constituição”, disse Lukashenko, de acordo com a agência de notícias Belta.

O chefe de Estado defendeu que a Constituição actual deve ser reformulada, dado que há muito poder concentrado nas mãos do presidente e que poderia haver  “problemas” se Lukashenko entregasse as rédeas do poder no país neste momento.

As declarações foram prestadas num hospital para pessoas acometidas pelo coronavírus, onde conversou com pacientes usando uma máscara branca e traje anti-contaminação, ainda que sem luvas.

Aliada crucial, a Rússia apoiou publicamente a intenção declarada de Lukashenko de reformar a Constituição, mas nenhuma proposta se materializou, e o impasse político entre o líder e seus oponentes arrasta-se há vários meses.

Os manifestantes minimizaram as promessas de reforma por vê-las como uma táctica de procrastinação.

O chanceler russo, Sergei Lavrov, aconselhou Lukashenko na quinta-feira a honrar a promessa de realizar reformas, assim como outros acordos não especificados com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, numa cimeira realizada em Setembro.

As acções de Lukashenko têm sido observadas atentamente em busca de pistas do que Moscovo, cujo apoio político é vital para se manter no poder, o induz a fazer.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.