Sonda chinesa vai recolher amostras da superfície lunar

A República Popular da China vai  lançar esta semana uma sonda não tripulada à Lua com o objectivo de recolher amostras lunares nesta que será a primeira tentativa de recolher amostras do satélite natural da Terra desde a década de 70.

A sonda Chang’e-5, baptizada em homenagem à antiga deusa da lua na mitologia chinesa, vai procurar recolher material que possa ajudar os cientistas a entender mais sobre a origem e a formação da Lua. A missão vai testar a capacidade da China de recuperar remotamente as amostras recolhidas no espaço antes de se aventurar em missões mais complexas.

Se for bem sucedida, a missão tornará a República Popular da China o terceiro país a recolher amostras lunares, depois dos Estados Unidos da América e da União Soviética há quase cinco décadas.

Desde que a União Soviética fez o pouso forçado do Luna 2 na Lua em 1959 -primeiro objecto de fabrico humana a alcançar outro corpo celestial – alguns outros países, incluindo o Japão e a Índia, também lançaram missões à lua.

No programa Apollo, que colocou pela primeira vez o homem na Lua, os Estados Unidos da América fizeram pousar 12 astronautas ao longo de seis voos entre 1969 e 1972, trazendo de volta 382 quilogramas de rochas e solo.

A União Soviética implementou três missões robóticas bem-sucedidas de recolha de de amostras na década de 1970. A última, Luna 24, recolheu 170,1 gramas de amostras em 1976 do Mare Crisium, ou “Mar das Crises”.

A sonda chinesa, com lançamento previsto para os próximos dias, vai tentar recolher dois quilogramas de amostras numa área que nunca foi  visitada, a planície de lava maciça conhecida como Oceanus Procellarum, ou “Oceano das Tempestades”.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.