Covid-19. Irlanda também vai sacrificar visons

O governo irlandês anunciou esta quinta-feira que vai sacrificar os visons   por receio de que sejam portadores de uma mutação do coronavírus transmissível aos humanos. A mutação foi  detectada na Dinamarca nos pequenos mamíferos, que são extensivamente criados por causa da sua pele.

“Continuar com a criação de visons representa um risco contínuo de que surjam novas variações” do vírus ligadas a este animal, afirmou num comunicado o ministério da Agricultura.

Embora até agora não se tenha detectado nenhum caso no país, o Ministério da Saúde “recomendou que os visons criados na Irlanda sejam sacrificados para reduzir ou eliminar o risco”, acrescentou.

De acordo com a imprensa irlandesa, este pequeno país de 5 milhões de pessoas possui três quintas de criação de visons, onde vivem cerca de 100.000 desses mamíferos.

O ministério da Agricultura mantém-se em estreito contacto com os criadores “para discutir os próximos passos”.

No início de Novembro, a Dinamarca, o maior exportador de visons do mundo, ordenou a eliminação de todos os seus espécimes – entre 15 e 17 milhões – após descobrir neles uma mutação do coronavírus transmissível aos humanos que poderia, de acordo com Copenhaga, comprometer a eficácia de uma futura vacina.

Nesta quinta-feira, o ministério da Saúde dinamarquês afirmou que essa mutação do vírus está “muito provavelmente extinta”.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.