Homem mais procurado da Malásia está escondido em Macau, diz a Al Jazeera

O empresário malaio Jho Low, alegado responsável pelo maior desvio financeiro da história da Malásia, que esteve na origem da condenação do antigo primeiro-ministro Najib Razak estará escondido no território desde 2018, de acordo com uma investigação jornalística hoje tornada pública pela Al Jazeera.

De acordo com a Al Jazeera, que não identifica as fontes, Low Taek Jho – também conhecido como Jho Low – está escondido no território pelo menos desde Fevereiro de 2018, onde vive “numa casa propriedade de um alto membro do Partido Comunista Chinês”.

O empresário malaio encontra-se em fuga há quase cinco anos e é procurado pelos Estados Unidos da América, pela Malásia e por Singapura. Questionado pela agência Lusa sobre se Jho Low estaria escondido em Macau, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos respondeu sucintamente: “Recusamo-nos a comentar”.

As autoridades da Malásia já insinuaram por mais de uma ocasião que o mentor do desvio financeiro que esteve na origem do escândalo 1 MDB está no território, possibilidade que as autoridades  locais negaram repetidamente. Kuala Lumpur critica a falta de cooperação da RAEM

O escândalo internacional ligado ao desvio de um fundo soberano no valor de cerca quatro mil milhões de euros culminou no final de Julho com a condenação, a 12 anos de prisão, do antigo primeiro-ministro Najib Razak. O fundo 1MDB foi criado em 2009 com o objectivo de atrair investimento estrangeiro e criar uma zona de negócios em Kuala Lumpur, mas acabou por acumular perdas superiores a 42 mil milhões de ringit.

O suposto mentor do desvi ainda se encontra livre: Jho Low, que segundo a Al Jazeera é “o homem que potencialmente detém todos os segredos sobre quanto dinheiro foi roubado, quem o levou e quem deu as ordens”, estaria há mais de dois anos no território, de acordo com fontes consultadas pela Al Jazeera em Macau e na Malásia.

O empresário terá usado o dinheiro investido no fundo para adquirir bens de luxo como joias, aviões de luxo, iates e até pinturas de Vincent Van Gogh e de Claude Monet.

As gravações de Jho Low apresentadas em duas vídeo reportagens agora emitidas, são de uma série de conversas telefónicas que teve com o antigo governo malaio, liderado por Mahathir Mohamad, em  Maio de 2018.

Durante as chamadas telefónicas, Jho Low revela que está na China e discute a possibilidade de um encontro com investigadores do 1MDB da Malásia em Hong Kong ou em Macau. Mas após a reunião ser marcada o suspeito foge para os Emirados Árabes Unidos, por dizer que não era seguro.

De acordo com a Al Jazeera, Jho Low tem viajado ao longo dos anos por várias cidades como Banguecoque, Dubai e Ahmedabad, na Índia. A sua ‘base’, ainda assim, é, desde Fevereiro de 2018, Macau.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.