EUA. Acto eleitoral de terça-feira foi o mais concorrido em mais de um século

A participação nas eleições presidenciais realizadas na terça-feira nos Estados Unidos da América, cujo resultado ainda é desconhecido, pode ser a maior registada nos últimos 100 anos, de acordo com informações avançadas pela imprensa norte-americana.

O portal “Edison Research” estima que mais de 157 milhões de pessoas votaram para eleger o novo presidente do país, representando uma taxa de participação de 65,7 por cento entre os eleitores com direito a voto, segundo avança o jornal “The Washington Post”.

Este número é mais de cinco pontos superior aos 60,1 por cento registados nas eleições presidenciais de 2016, ganhas pelo republicano Donald Trump, que agora tenta a reeleição.

Segundo fontes, a participação nesta consulta será a maior desde 1908, quando 65,7 por cento dos possíveis eleitores votaram.

A circunstância, segundo o jornal, ocorreu antes da mudança da Constituição dos Estados Unidos da América que permitiu que as mulheres tivessem direito ao voto.

As eleições de 2020 foram condicionadas pela pandemia de Covid-19, que até ao momento regista 9,3 milhões de casos e 232 mil mortes nos Estados Unidos da América.

Com isso, a participação antecipada também atingiu um recorde, ultrapassando 100 milhões de eleitores, dos quais 35,9 milhões correspondem a votos presenciais nos últimos dias e outros 64,8 milhões a votos por correspondência, segundo a organização Projecto Eleições, da Universidade da Flórida.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.